Print Sermon

O objetivo deste site é fornecer gratuitamente manuscritos e vídeos de sermões para pastores e missionários em todo o mundo, especialmente o Terceiro Mundo, onde existem poucos seminários teológicos ou escolas bíblicas.

Estes manuscritos e vídeos de sermões alcançam agora cerca de 1.500,000 computadores em mais de 221 países anualmente através do site: www.sermonsfortheworld.com. Centenas de outras pessoas assistem os vídeos noYouTube, mas rapidamente deixam o YouTube, pois cada vídeo os redireciona para nosso website. O YouTube redireciona as pessoas para nosso website. Os manuscritos dos sermões são traduzidos para 40 idiomas para cerca de 120.000 computadores mensalmente. Estes sermões manuscritos não estão protegidos por direitos autorais, para que, assim, pregadores possam usá-los sem nossa autorização. Clique aqui para saber como fazer uma doação mensal para ajudar-nos nesta grande obra de divulgar o Evangelho para todo o mundo, incluindo nações muçulmanas e hindus.

Ao escrever para Dr. Hymers, mencione sempre o país no qual você vive, caso contrário ele não poderá responder-lhe. O email do Dr. Hymers é rlhymersjr@sbcglobal.net.




A DESCRIÇÃO DE EXPIAÇÃO

(SERMÃO NUMERO 9 SOBRE ISAÍAS 53)
A DESCRIPTION OF THE ATONEMENT
(SERMON NUMBER 9 ON ISAIAH 53)
(Portuguese)

por Dr. R. L. Hymers, Jr.

Sermão pregado no Tabernáculo Batista de Los Angeles
Dia do Senhor de manhã, 7 de Abril, 2013
A sermon preached at the Baptist Tabernacle of Los Angeles
Lord’s Day Morning, April 7, 2013

“Da opressão e do juízo foi tirado; e quem contará o tempo da sua vida? Porquanto foi cortado da terra dos viventes; pela transgressão do meu povo ele foi atingido” (Isaías 53:8).


Em versículo anterior Isaías contou-nos sobre o silêncio de Cristo,

“Como um cordeiro foi levado ao matadouro, e como a ovelha muda perante os seus tosquiadores, assim ele não abriu a sua boca” (Isaías 53:7).

Dr. Edward J. Young disse, “Havendo enfatizado a paciência silenciosa de Cristo em Seu sofrimento, o profeta agora dá a mais detalhado descrição de aquele sofrimento” (Edward J. Young, Ph.D., The Book of Isaiah, Eerdmans, 1972, volume 3, p. 351).

“Da opressão e do juízo foi tirado; e quem contará o tempo da sua vida? Porquanto foi cortado da terra dos viventes; pela transgressão do meu povo ele foi atingido” (Isaías 53:8).

O versículo divide naturalmente em três pontos descrevendo (1) sofrimento de Cristo, (2) generaçãode Cristo, e (3) expiação representativo de Cristo por nossos pecados.

I. Primeiro, o texto concede a descrição de sofrimento de Cristo.

“Da opressão e do juízo foi tirado…porquanto foi cortado da terra dos viventes” (Isaías 53:8).

Cristo foi preso no Jardim de Getsêmani. Ele foi tomado por guardas de templo para sacerdotes. Eles trouxeram Ele adiante Caifás, o sumo sacerdote, e adiante Sanedrim, o supremo tribunal Judaico. Ele foi condenado em este tribunal por testemunhas falsas. Jesus disse,

“Que vereis em breve o Filho do homem assentado à direita do Poder, e vindo sobre as nuvens do céu” (Mateus 26:64).

E depois o sumo sacerdore disse,

“Que vos parece? E eles [de Sanedrim], respondendo, disseram: É réu de morte. Então cuspiram-lhe no rosto e lhe davam punhadas, e outros o esbofeteavam” (Mateus 26:66-67).

“E, chegando a manhã, todos os príncipes dos sacerdotes, e os anciãos do povo, formavam juntamente conselho contra Jesus, para o matarem” (Mateus 27:1).

Mas eles não tinham autoridade legal sujeito a lei Romano para fazer isto, e então,

“e, amarrando-o, levaram-no e o entregaram ao governador [Romano] Pilatos” (Mateus 27:2).

Pilatos questionou Jesus,

“e, tendo mandado açoitar a Jesus, entregou-o para ser crucificado” (Mateus 27:26).

Portanto, esta parte de nosso texto foi realizado,

“Da opressão e do juízo foi tirado [adiante o sumo sacerdote, e depois adiante Pilatos]…porquanto foi cortado da terra dos viventes [através de Sua morte na Cruz]” (Isaías 53:8).

O aprisionamento de Jesus por Sanedrim Judaico e por Pilatos realizaram as palavras, “e do juízo foi tirado.” Os julgamentos adiante Caiáfas, e depois adiante Pilatos, realizaram a frase, “e do juízo.” Ele foi tomado de prisão e de julgamento para a colina chamado Calvário, aonde Ele foi crucificado e morto na Cruz, assim realizando a frase, “porquanto foi cortado da terra dos viventes.”

Dr. John Gill (1697-1771) disse,

Da opressão e do juízo foi tirado; isto é, sua vida foi tirado fora em uma maneira violenta, abaixo de pretensão de justiça aonde [realmente] a [pior] injustiça foi feito em ele; uma acusação errada foi trazida contra ele, testemunhas falsas foram [subornados para aceitar juramento falso, assim cometendo perjúrio contra Ele], e sua vida foi tirado fora com mãos travessas [como determinado] em Atos 8:32, [“Foi levado como a ovelha para o matadouro; e, como está mudo o cordeiro diante do que o tosquia, Assim não abriu a sua boca”]. Em sua humilhação seu julgamento foi tirado fora: ele [não recebeu] justiça comum (John Gill, D.D., An Exposition of the Old Testament, The Baptist Standard Bearer, 1989 reprint, volume V, p. 314).

Como nosso texto diz,

“Da opressão e do juízo foi tirado…porquanto foi cortado da terra dos viventes” (Isaías 53:8).

II. Segundo, o texto concede a descrição de generação de Cristo.

Em no médio de texto está a cláusula o qual é um pouco difícil de explicar,

“Da opressão e do juízo foi tirado; e quem contará o tempo da sua vida? Porquanto foi cortado da terra dos viventes…” (Isaías 53:8).

“E quem contará o tempo da sua vida?” Dr. Gill disse que esta frase fala “de tempo [ou generação em que Ele viveu], e os homens de este tempo em que ele viveu, o qual barbaridade à ele, e maldade eles foram culpados de, foram semelhantes a medida que não poderiam ser declarados [completamente] pela boca, ou [completamente] descrevido pela cligrafia de homem” (Gill, ibid.). Isto traz lágrimas ao nossos corações, quando nós lemos da crueldade e injustiça que eles tinham à inofensivo Filho de Deus! Como Joseph Hart (1712-1768) coloca em seu lamentável hino,

Ve como Jesus paciente sustenta,
   Insultado em [este terrível lugar]!
Pecadores têm amarrado mãos de Todo-poderoso,
   E cuspido em na cara de seu Criador.

    espinhas Seu templo ferido e machucado,
   Flui correntes de sangue em todas partes;
Sua costa com marcas de chicote,
   Mas profundo chicotadas racham Seu coração.

Pregado pelado na maldita madeira,
   Exposto na terra e céu acima,
Um espetáculo de feridas e sangue,
   Um triste mostra de amor ofendido!
(“His Passion” by Joseph Hart, 1712-1768; altered by the Pastor;
     to the tune of “‘Tis Midnight, and on Olive’s Brow”).

John Trapp (1601-1669) disse, “Quem pode expressar ou descrever a generação dele? [Quem pode descrever] a maldade dos homens de aqueles tempos que ele viveu?” (John Trapp, A Commentary on the Old and New Testaments, Transki Publications, 1997 reprint, volume 3, p. 410).

Isto é difícil de explicar, em termos humanos, porque aqueles líderes judeus queriam Jesus crucificado, e porque os soldados Romanos, “feriram-no na cabeça com uma cana, e cuspiram nele…e o levaram para fora a fim de o crucificarem” (Marcos 15:19-20).

“E, embora não achassem alguma causa de morte, pediram a Pilatos que ele fosse morto” (Atos 13:28).

Como John Trapp expressa isto, “Quem pode expressar ou descrever a generação dele?... a maldade dos homens de aqueles tempos que ele viveu.”

“Da opressão e do juízo foi tirado; e quem contará o tempo da sua vida? Porquanto foi cortado da terra dos viventes…” (Isaías 53:8).

Dr. Young disse, “O verbo [declarar] implica meditação ou pensando coisas sérias à alguma coisa...Eles deveriam haver considerado [o significado de Sua morte], mas eles não fizeram” (Young, ibid., p. 352).

Como isto é de qualquer forma diferente hoje? Milhões de pessoas haviam escutado sobre a morte de Jesus na Cruz sem dar pensamentos sérios sobre isto. “Eles deveriam haver considerado, mas eles não fizeram.” Quem pensa profundamente sobre a crucificação de Cristo? Você pensa? Você passa tempo pensando sobre a morte de Cristo e o que isto significa à você?

“Quem pode…descrever generação dele?... a maldade dos homens de aqueles tempos que ele viveu,” disse John Trapp. E ainda as pessoas quem crucificaram Jesus foram realmente muito similar à pessoas não convertidas hoje. Quando “The Passion of the Christ” saiu em nossos cinemas muito comentadores de notícia disseram que este filme iria ter um profundo efeito em aqueles que viram. Eles disseram que isto iria acender um avivamento de interesse em Evangelho. Alguns deles disseram que isto iria causar grande multidão de jovens à vir adentro das igrejas.

O filme saiu em 2004. Isto foi nove anos atrás. Nós havemos tenido suficiente de tempo para ver se estes comentadores estavam certo. O terrível realidade de sofrimento de Cristo retratado em filme teve um efeito psicológico em muitos quem viram. Mas nós podemos ver agora que isto não fez impressao que dura em aqueles que viram. Eles foram atrás direto ao seu egocêntrico e vidas de pecado.

Você vê, isto é a essencia absoluta de pecado. Pessoas não convertidas podem únicamente experienciar um pequeno tristeza sobre sofrimento de Cristo. Mas, de melhor, isto é somente um leve remorso. Eles vão logo atrás ao “surfe de nete” por horas, para ambição deles por mais dinheiro, vidas deles sem Deus, video games infinito deles, faltando igreja no Domingo, pensando muito pouco sobre Deus quem criou eles, e o Cristo quem sofreu na Cruz para salvar eles. “Quem pode descrever generação dele?” Porque, a generação que viveu quando Jesus foi crucificado é virtualmente o mesmo como sua generação! Eles eram um grupo que amava si mesmo, reprovadores sem Deus, quem viveu por nada além que prazeres de pecado. E isto não é um painel perfeito de sua generação também? E, se vocês foram realmente honestos com vocês mesmo, isto não é também uma descrição perfeita de vocês? Depois de tudo, quanto tempo você passa pensando sobre Deus? Quanto tempo você passa em oração cada dia? Como a crucificação de sangue de Cristo afeta sua vida diária? Se vocês são honestos com vocês mesmo, eu penso que vocês têm que dizer que vocês não são realmente tão diferentes da generação que rejeitaram Cristo, que crucificaram Ele, e que andaram caminho que seguem suas próprias vidas egocêntricas. Isto é a essencia do pecado. Isto é a natureza do pecado. Isto prova que vocês são pecadores, e que vocês são completamente culpados como aqueles em tempo de Cristo. Mesmo se vocês vêm aqui na igreja todo Domingo, vocês somente têm “aparência de piedade” (II Timóteo 3:5). Isto não é verdade de vocês? Isto não é verdade que vocês “pecaram e destituídos estão da glória de Deus”? (Romanos 3:23). E desde toda aquelas coisas são verdade de vocês, como vocês podem escapar de ira e julgamente de Deus Todo-poderoso? Rev. Iain H. Murray, em seu livro recente sobre vida de Dr. Martyn Lloyd-Jones, disse,

      Por Dr. Lloyd-Jones para pregar o peril real da culpa de homem antes de Deus significou à predicar a certeza de ira divina, ira que é já sobre o não convertido e que é ainda para vir em o castigo de pecado no inferno...este lugar aounde seus ‘não lhes morre o verme, nem o fogo se apaga’(Iain H. Murray, The Life of Martyn Lloyd-Jones, The Banner of Truth Trust, 2013, p. 317).

III. Terceiro, o texto descreve significado mais profundo de sofrimento de Cristo.

Por favor levante e leia Isaías 53:8 em voz alta, prestando bem atenção ao última cláusula, “pela transgressão do meu povo ele foi atingido.”

“Da opressão e do juízo foi tirado; e quem contará o tempo da sua vida? Porquanto foi cortado da terra dos viventes; pela transgressão do meu povo ele foi atingido” (Isaías 53:8).

Vocês podem se sentar.

Dr. Merrill F. Unger disse,

Por dezessete séculos [a interpretação Messianica de Isaías 53] foi a única interpretação entre Cristãos [e] autoridades de Judeus. [Depois os Judeus] deliberadamente abandonaram esta observação de este capítulo porque de extraordinário realização em Cristo (Unger, ibid., p. 1293).

Hoje muitos Judeus literatos dizem que o capítulo quinquagésimo terceiro inteiro de Isaías refere de sofrimento do povo Judaico, não o Cristo. Embora os Judeus haviam sofridos horrivelmente nas mãos de Cristãos falsos, isto não pode ser o verdadeiro significado de nosso texto, pois isto simplesmente diz, “pela transgressão [o pecado] do meu povo ele foi atingido” (Isaías 53:8). De esta cláusula, “pela transgressão do meu povo ele foi atingido,” Dr. Henry M. Morris disse, “Ele morreu por ‘meu povo’ – que é, Israel – mostrando que [Cristo] en esta passagem não é Israel, como muitos haviam alegados” (Henry M. Morris, Ph.D., The Defender’s Study Bible, Word Publishing, 1995, p. 767). Assim, o significado verdadeiro não é que o povo Judaico estavam golpeados, mas especialmente que Cristo foi golpeado em lugar deles, por pecado deles, para pagar o castigo de pecado deles, e de nosso. Ele foi crucificado para pagar o castigo de nossos pecados!

Dr. John Gill disse as palavras “pela transgressão do meu povo ele foi atingido,” aplica ao povo Judaico e também ao Cristãos escolhidos – mostrando que Cristo foi golpeado por ambos o pecado de Israel e por de pecados de “seu povo” quem são Cristãos (Gill, ibid., p. 314). Eu penso que Dr. Gill tira o significado verdadeiro de estas palavras,

“Pela transgressão do meu povo ele foi atingido” (Isaías 53:8).

Cristo foi “golpeado” na Cruz para pagar por os pecados de Seu povo, seja que eles são Judeus ou Gentios. Sua morte é substitutivo, Cristo morrendo para pagar por nossos pecados. Isto é conciliatório, afastando fora a ira de Deus sobre o pecador.

Mas existe uma condição. Por Cristo para efectivamente pagar por seus pecados, você deve confiar Ele em fé. O pagamento de pecado de Cristo na Cruz não irá salvar ninguém quem falha de acreditar Jesus. Isto é somente quando você entrega à Jesus que seus pecados são apagados de recorde de Deus através de Sangue do Salvador.

Você pode saber todos os fatos em este versículo e ainda estar perdido. Os demônios têm conhecimento completo de estes fatos, mas isto não vai salvar eles. O Apóstolo Tiago disse, “os demônios o crêem, e estremecem” (Tiago 2:19). Os demônios têm somente “conhecimento de cabeça” sobre morte expiatório de Cristo. Você deve ser convertido por um ato de graça de Deus, ou você irá para Inferno com seus pensamentos memorizados sobre crucificação Dele.

Ouve ao Dr. A. W. Tozer enquanto ele diz contra “decisionismo” e em favor de conversão verdadeira. Dr. Tozer disse,

A transação inteira de conversão religiosa tem sido feito mecânico e sem vida. Agora fé pode ser exercisado sem uma jarra à vida moral e sem embaraço ao ego Adâmica. Cristo pode ser “recebido” sem criando nenhum amor especial por Ele na alma do recipiente (A. W. Tozer, D.D., The Best of A. W. Tozer, Baker Book House, 1979, page 14).

“A transação inteira de conversão religiosa tem sido feito mecânico e sem vida” – e, eu podeira adicionar que isto é muitas vezes sem Cristo! “Decisionistas” simplesmente querem você a dizer uma oração rápida, ser batizado, e terminar com isto. Muitas vezes a morte de Cristo e resurreição são dificilmente mencionados. Muitas vezes eles estão completamente desolados! Isto não é o que a Bíblia ensina. A Bíblia ensina que você deve sentir a culpa de seu pecado, e achar que você não tem nenhum caminho para escapar de pecado e suas consequências exceto através chegando ao Cristo, estendendo a si mesmo sem defensa antes Dele, e confiando Ele desde mais profundidade de seu ser. Assim, e somente assim, você irá saber por experiência do que o profeta Isaías queria dizer quando ele disse,

“Pela transgressão do meu povo ele foi atingido” (Isaías 53:8).

Quando vocês confiam em Jesus Cristo pela fé, Seu Sangue limpa todos os seus pecados e vocês são convertidos – mas não antes que isto acontece à vocês. Não, nunca antes que isto acontece! Vocês devem confiar em Jesus Cristo se vocês querem ser salvos!

Vamos-nos levantar juntos. Se você gostaria de conversar com nós sobre confiar em Jesus, por favor deixe sua cadeira agora e caminhe para trás de auditório. Dr. Cagan irá levar você à um quarto quieto aonde nós podemos conversar com vocês sobre entregar ao Cristo e ser limpo de seu pecado através Sangue sagrado Dele! Mr. Lee, por favor vem e ore por aqueles quem têm respondido. Amém.

(FIM DE SERMÃO)
Você pode ler sermões do Dr. Hymers cada semana no Internete
em www.realconversion.com. Clique no “Sermão em Português.”

You may email Dr. Hymers at rlhymersjr@sbcglobal.net, (Click Here) – or you may
write to him at P.O. Box 15308, Los Angeles, CA 90015. Or phone him at (818)352-0452.

Escritura Lido Antes de Sermão por Dr. Kreighton L. Chan: Isaías 53:1-8.
Solo Cantado Antes de Sermão por Mr. Benjamin Kincaid Griffith:
“Blessed Redeemer” (por Avis B. Christiansen, 1895-1985).


PLANO DE

A DESCRIÇÃO DE EXPIAÇÃO

(SERMÃO NUMERO 9 SOBRE ISAÍAS 53)

por Dr. R. L. Hymers, Jr.

“Da opressão e do juízo foi tirado; e quem contará o tempo da sua vida? Porquanto foi cortado da terra dos viventes; pela transgressão do meu povo ele foi atingido” (Isaías 53:8).

(Isaías 53:7)

I.   Primeiro, o texto concede a descrição de sofrimento de Cristo,
Isaías 53:8a; Mateus 26:64, 66-67; 27:1-2, 26; Atos 8:32.

II.  Segundo, o texto concede a descrição de generação de Cristo,
Isaías 53:8b; Marcos 15:19-20; Atos 13:28; II Timóteo 3:5;
Romanos 3:23.

III. Terceiro, o texto descreve significado mais profundo de sofrimento
 de Cristo, Isaías 53:8c; Tiago 2:19.