Print Sermon

O objetivo deste site é fornecer gratuitamente manuscritos e vídeos de sermões para pastores e missionários em todo o mundo, especialmente no Terceiro Mundo, onde há poucos ou nenhum seminário teológico ou escolas bíblicas.

Estes manuscritos, como também os vídeos dos sermões agora alcançam anualmente cerca de 1.500,000 computadores em mais de 221 países através do site: www.sermonsfortheworld.com. Centenas de outras pessoas assistem os vídeos noYouTube, mas rapidamente deixam o YouTube, pois cada vídeo os redireciona para nosso website. O YouTube redireciona as pessoas para nosso website. Os manuscritos dos sermões são traduzidos para 42 idiomas para cerca de 120.000 computadores mensalmente. Estes sermões manuscritos não estão protegidos por direitos autorais, para que, assim, pregadores possam usá-los sem nossa autorização. Clique aqui para saber como fazer uma doação mensal para ajudar-nos nesta grande obra de divulgar o Evangelho para todo o mundo.

Ao escrever para Dr. Hymers, mencione sempre o país onde você vive, caso contrário ele não poderá responder-lhe. O email do Dr. Hymers é rlhymersjr@sbcglobal.net.




PILATOS E PRÓCULA

PILATE AND PROCULA
(Portuguese)

por Dr. R. L. Hymers, Jr.

Um sermão pregado no Tabernáculo Batista de Los Angeles
Noite do Dia do Senhor, 28 de fevereiro de 2010
A sermon preached at the Baptist Tabernacle of Los Angeles
Lord’s Day Evening, February 28, 2010

“E, estando ele assentado no tribunal, sua mulher mandou-lhe dizer: Não entres na questão desse justo, porque num sonho muito sofri por causa dele” (Mateus 27:19).


Como é de se esperar, a EUA News e a World Report, juntamente com a revista Newsweek dizem que a Bíblia está errada em seu retrato de Pôncio Pilatos, o governador romano que ordenou a crucificação de Cristo. Newsweek disse:

Pilatos não era a figura humana [Mel] que Gibson descreve [em A Paixão de Cristo]. De acordo com Philo de Alexandria, o governador era de "disposição inflexível, teimosa e cruel" e era conhecido por executar desordeiros sem julgamento (Newsweek, 16 de fevereiro de 2004, p. 48)

Newsweek continuou, dizendo que os escritores dos quatro evangelhos se esforçaram para retratar o governador romano em uma boa luz para tornar o cristianismo “atraente para um público tão amplo quanto possível” (ibid).

U.S. News e World Report disseram:

Pôncio Pilatos estava longe de ser a figura um tanto benigna [humana] retratada por Mel Gibson (ou pelos Evangelhos), intrigado pela insistência do sumo sacerdote em punir Jesus. Ele era, ao contrário, como o historiador do primeiro século Josephus relata, uma notória e severa autoridade, rápido em crucificar até mesmo rebeldes em potencial (U.S. News and World Report, 8 de março de 2004, p. 42).

Como cristãos que crêem na Bíblia, aprendemos a não confiar na revista Time, na Newsweek, na U.S. News e na World Report, como também nos meios de comunicação seculares em geral quando comentam o cristianismo. Por exemplo, a Newsweek citou Philo para lançar dúvidas sobre as ações de Pilatos em relação a Jesus, conforme registrado nos quatro evangelhos. Mas Philo dificilmente poderia ter sido uma testemunha ocular daquilo que aconteceu entre Jesus e Pilatos. Filo nasceu e viveu em Alexandria, no Egito, centenas de quilômetros de Jerusalém. Ele nunca viu Pilatos ou Jesus! Ele só escreveu a partir do conhecimento de segunda mão. A Enciclopédia Britânica diz que Filo “parece ter passado toda a sua vida em Alexandria” (Encyclopedia Britannica, 1946, volume 17, p. 757).

Josefo só veio a nascer em 37 DC, quatro anos depois de Jesus haver sido crucificado (Encyclopedia Britannica, volume 13, p. 153). Philo vivia no Egito. Ele nunca esteve em Jerusalém. Josefo ainda nem havia nascido. É desonesto citar qualquer um desses homens contra os relatos de testemunhas oculares proferidos pelos Apóstolos nos quatro evangelhos. Mateus estava presente. Ele viu o que aconteceu. Marcos estava presente. Ele viu o que aconteceu. João estava presente. Ele viu o que aconteceu. Lucas escreveu seu evangelho a partir do relato de testemunhas oculares como Pedro e outros que viram o que aconteceu. Eles estavam realmente lá. Eles eram testemunhas oculares. Philo morava centenas de quilômetros de distância na África e Josefo nem havia nascido ainda!

Tanto a Newsweek como a U.S. News e World Report rejeitam o relato de testemunho ocular dos Apóstolos, e favorecem o relato de um homem que ainda não havia nascido, e de outro homem que viveu centenas de quilômetros de distância, no norte da África! Isso soa como um relato tendencioso para mim! Mas já aprendemos que há um preconceito na mídia secular - contra o cristianismo. Eles não fazem isso com qualquer outra religião importante, mas atacam o cristianismo e a Bíblia em toda e qualquer oportunidade que têm. Nós esperamos isso deles. Como David Limbaugh disse:

Você já notou a prevalência de histórias que desacreditam o cristianismo bíblico nas principais revistas do país durante as temporadas de Natal ou Páscoa? O colunista Don Feder observou que durante a Semana Santa em 1996, a Newsweek e a EUA News and World Report ambas tinham histórias de capa tentando trazer descrédito ao cristianismo (traduzido de David Limbaugh, “Persecution: How Liberals Are Waging War Against Christianity, Regnery Publishing, 2003, p. 271).

Muitos autores conservadores têm notado como os locais de notícias liberais são tendenciosos contra o cristianismo.

O Novo Testamento não branqueia a figura de Pôncio Pilatos. Nós não precisamos de Filo ou Josefo para nos dizer que Pilatos era um severo governador romano. Lucas 13: 1-2 fala de um incidente onde Pilatos matou muitos judeus na Galiléia. O Dicionário Ilustrado da Bíblia nos diz que:

Pilatos nunca se tornou popular entre os judeus. Ele parecia ser insensível às suas convicções religiosas e teimoso na busca de suas políticas. Mas quando os judeus responderam ao seu governo com a oposição enfurecida, ele freqüentemente recuou, demonstrando sua fraqueza ... Pilatos é um bom exemplo do empreendedor sem princípios que irá sacrificar o que é certo para realizar seus próprios objetivos egoístas. Embora ele reconhecesse a inocência de Jesus e tivesse a autoridade para defender a justiça e absolver Jesus, ele cedeu às exigências da multidão em vez de arriscar um revés pessoal em sua carreira (Herbert Lockyer Sr., editor, Illustrated Diccionary of the Bible - Dicionário Ilustrado da Bíblia, Thomas Nelson, 1986, p. 842).

Por que, então, Pôncio Pilatos relutou em crucificar Jesus? Eu creio que havia três razões principais: a situação política, o aviso de sua esposa e sua posição enfraquecida. Pilatos tinha que estar ciente de que uma vasta multidão de pessoas havia recebido Jesus em Jerusalém apenas uma semana antes. Essa multidão gritara:

“Hosana ao Filho de Davi: Bendito o que vem em nome do Senhor! Hosana nas alturas. E, entrando Ele em Jerusalém, toda a cidade se alvoroçou, dizendo: Quem é este? E a multidão dizia: Este é Jesus, o Profeta de Nazaré da Galiléia” (Mateus 21: 9-11).

Isso certamente deixou o governador de alerta. Ele já estava pensando em Jesus.

E aí então, Jesus limpa o templo.

“E, entrou Jesus no templo de Deus, e expulsou todos os que vendiam e compravam no templo; e derribou as mesas dos cambistas e as cadeiras dos que vendiam pombas. E disse-lhes: Está escrito: A minha casa será chamada casa de oração. Mas vós a tendes convertido em covil de ladrões. E foram ter com ele ao templo cegos, e coxos, e curou-os” (Mateus 21:12-14).

Pilatos também estava sabendo de tudo isso.

A entrada triunfal em Jerusalém, a purificação do Templo, as curas sobrenaturais – na posição de governador, Pilatos estava ciente de todas essas coisas. Eles, então, trouxeram Jesus a ele. Ele questionou a Jesus:

“E nem uma palavra lhe respondeu, de sorte que o governador estava muito maravilhado” (Mateus 27:14).

Em segundo lugar, a esposa de Pilatos enviou-lhe uma mensagem. Fiquemos em pé e leiamos Mateus 27:19 em voz alta:

“E, estando ele assentado no tribunal, sua mulher mandou-lhe dizer: Não entres na questão desse justo, porque num sonho muito sofri por causa dele” (Mateus 27:19).

Podem assenter-se.

Segundo a tradição antiga, sua esposa era convertida ao judaísmo. O próprio Pilatos não era em nenhum sentido um homem moderno. Como romano, ele acreditava em muitos deuses, espíritos - maus e bons, e em presságios e sonhos. Pelo registro das Escrituras, a relação entre Pilatos e sua esposa parece próxima. Seu nome era Claudia Prócula. O fato de ela haver-lhe enviado essa mensagem enquanto ele estava no meio de uma audiência tão importante, mostra sua proximidade emocional.

Então, você tem essa cena de atividade incrível durante a semana de Páscoa. Houve a entrada triunfal de Cristo, com todas aquelas pessoas cantando e aplaudindo. Depois houve a limpeza do templo. Eu creio que Mel Gibson estava certo quando ele coloca Pilatos dizendo: “Esse não é o profeta que vocês receberam na cidade? Vocês podem explicar essa loucura para mim? ”(trazudido de Cf. Newsweek, 16 de fevereiro de 2004, p. 49). Isso soa verdadeiro. É muito provável que esses tenham sido exatamente os pensamentos de Pilatos.

Then, you also had his wife sending him a message of warning about Jesus – during the trial. The supernatural flavor of the message would have troubled a superstitious Roman of that time.

Há, também, a esposa dele enviando-lhe uma mensagem de advertência sobre Jesus - durante o julgamento. O sabor sobrenatural da mensagem teria, com certeza, incomodado um romano supersticioso da época.

Em terceiro lugar, Pilatos estava em uma posição muito mais fraca. O apologista Lee Strobel diz que ele era

     Lembrado… de como alguns críticos tem questionado a exatidão dos evangelhos por causa da maneira como retratam o líder romano. Enquanto o Novo Testamento o pinta como sendo vacilante e disposto a ceder às pressões da multidão judaica ao executar Jesus, outros relatos históricos o retratam como sendo obstinado e inflexível.
     [Mas o Dr. Edwin Yamauchi, um famoso arqueólogo e estudioso da Bíblia, apontou que Paul Maier, em seu livro de 1968, Pontius Pilate] “… mostra que seu protetor ou patrono [de Pilatos] era Sejano e que Sejano havia caído do poder em 31 dC por haver conspirado contra o imperador ... essa perda teria tornado a posição de Pilatos muito fraca em 33 dC ... quando Jesus foi crucificado. Assim, certamente seria compreensível que Pilatos estivesse relutante ... Isso significa que a descrição bíblica é ... correta ”(traduzido de Lee Strobel, The Case For Christ, Zondervan, 1998, p. 85).

Por essas três razões, não creio que haja algo de peculiar na relutância de Pilatos em crucificar Jesus. A mente pré-moderna de Pilatos, sem dúvida, via Jesus como possuidor de algum poder sobrenatural. A Bíblia diz que ele “maravilhou-se muito” [ficou muito surpreso] que Jesus houvesse dado tão poucas respostas às suas perguntas. E assim, ele estava hesitante. Ele pensou no estranho sonho de sua esposa. Ele ouviu Jesus dizer

“Nenhum poder terias contra mim, se de cima te não fosse dado…” (João 19:11).

De alguma forma, em seu pagão e supersticioso coração, Pilatos sabia que estava lidando com o sobrenatural - com Deus. As palavras de sua esposa passaram por sua mente:

“E, estando ele assentado no tribunal, sua mulher mandou-lhe dizer: Não entres na questão desse justo, porque num sonho muito sofri por causa dele” (Mateus 27:19).

Vamos olhar mais de perto a mensagem que a esposa de Pilatos enviou a ele.

I. Primeiro, foi uma advertência contra o pecado.

Foi um sonho providencial. No Antigo Testamento, Deus falou muitas vezes através de sonhos. Deus falou ao faraó no Egito através de um sonho. Deus falou com o rei Nabucodonosor através de um sonho. Deus falou a José através de um sonho e lhe disse para levar o bebê Jesus ao Egito para escapar do rei Herodes. O sonho de Prócula foi acompanhado por sofrimento mental. Ela disse: “Eu sofri muitas coisas… em um sonho por causa dele” (Mateus 27:19). A palavra grega traduzida como “sofrido” é de “pascho”. Ela é traduzida como “paixão” em Atos 1: 3, referindo-se à paixão de Cristo, o sofrimento de Cristo. A esposa de Pilatos, Prócula, pode ter visto alguns dos terríveis sofrimentos de Cristo em seu sonho. Ela pode ter visto algo do destino terrível de seu marido.

Certamente seu sonho era uma advertência contra o pecado. E falou com a consciência de Pilatos. Prócula disse a ele que Jesus era um “homem justo”, um homem reto. A própria consciência de Pilatos concordou com sua esposa. Quando ele lavou as mãos do assunto, ele chamou Jesus de “justo”, ecoando a descrição de Cristo que sua esposa lhe havia dado. (Mateus 27:24). Embora Pilatos tenha sido afetado pelas palavras de sua esposa, ele vacilou. Ele foi puxado de um lado por sua consciência e do outro por seu medo do homem.

Então a multidão gritou:

“Se soltas este, não és amigo do César! Qualquer que se faz rei é contra César” (João 19:12).

Isso o fez sair de cima do muro. O Dr. Ryrie diz:

Ele não queria que chegasse a Roma um outro relatório de que ele havia ofendido os costumes judaicos ou que não podia controlar uma situação - acusações já antes feitas ao [imperador] Tibério (traduzido de Charles C. Ryrie, Ph.D., The Ryrie Study Bible, nota sobre Marcos 15: 1).

As… autoridades retornaram à acusação política contra Jesus, sugerindo uma ameaça poderosa a um governador provincial [como Pilatos] que serviu ao capricho do imperador (Tibério). Os judeus já tinham protestado a Roma contra as ações de Pilatos em outros assuntos onde ele houvera sido insensível aos seus costumes (ibid, nota em João 19:12).

E assim, o medo do homem fez com que Pilatos desconsiderasse o aviso de Prócula, fosse contra sua própria consciência e cometesse pecado. A Bíblia diz:

“Quem teme ao homem arma ciladas” (Provérbios 29:25).

Há pessoas aqui esta noite que estão pensando em Cristo. Assim como Pilatos, você foi avisado sobre ele. Você foi avisado a se afastar do pecado e confiar em Cristo. Você vai fazer isso? Haverá forte tentação de “lavar as mãos” e se afastar de Jesus, como Pilatos fez. As pessoas dirão a você para não se tornar "um fanático". Elas tentarão afastar você de Cristo. Qual caminho você irá escolher? Você virá a Cristo para ser salvo? Ou você será puxado de volta por aqueles que são contra Cristo? Você tem a mesma escolha que Pilatos teve. A esposa de Pilatos o advertiu, mas ele hesitou - por tempo demais!

II. Em segundo lugar, foi um aviso que foi rejeitado.

Não se engane aqui. Pilatos rejeitou o aviso de sua esposa. Ele seguiu a multidão em vez de ouvir seu piedoso conselho. John Trapp diz: "Não foi pusilaminidade [covardia] e popularidade que enganaram Pilatos, amordaçando-o assim, para que não pudesse contradizer a forte multidão?" (Traduzido de John Trapp, A Commentary on the Old and New Testaments, Transki Publications, 1997 reimpressão, volume V, p. 271).

Por que ele não ouviu a esposa? Por causa do interesse próprio e da covardia. Ele temeu perder sua posição como governador caso a ela ouvisse.

Você teme perder algo caso decida confiar em Cristo? Quatro vezes nos evangelhos está registrado o que Jesus disse:

“Quem quiser salvar a sua vida, perdê-la-á” (Mateus 16:25; Marcos 8:35; Lucas 9:24; Lucas 17:33).

Abram suas Bíblia em Mateus 16:25-26. Fiquemos em pé e leiamos em voz alta estes dois versículos.

Jesus disse:

“Porque aquele que quiser salvar a sua vida, perdê-la-á; e quem perder a sua vida por amor de mim achá-la-á. Pois que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro, se perder a sua alma? Ou o que dará o homem em recompensa da sua alma?” (Mateus 16: 25-26)

Podem sentar-se.

Jesus disse que se você procura manter a sua vida do jeito que é, você perderá sua vida. O que você ganha se ganhar o mundo inteiro e perder sua própria alma? Pilatos fez a escolha errada. Ele manteve sua posição de governador - por mais três anos - mas perdeu a alma.

Josefo fala de um sangrento encontro com os samaritanos, que apresentaram queixa contra Pilatos ao seu superior, Vitélio, o governador da Síria. Vitélio depôs Pilatos de seu cargo e ordenou-lhe que se apresentasse diante do imperador em Roma para responder por sua conduta ... Eusébio relata que ele foi exilado para ... a Gália (França), onde ele eventualmente cometeu suicídio (Traduzido de (Illustrated Dictionary of the Bible, ibid.).

Pilatos rejeitou o aviso que Deus lhe deu através de sua esposa. Pilatos perdeu tudo - inclusive sua alma. A única razão pela qual nos lembramos dele é porque ele presidiu o julgamento de Jesus que é chamado o Cristo! A esposa de Pilatos o advertiu - mas ele rejeitou seu aviso.

III. Em terceiro lugar, foi um aviso que teve conseqüências esmagadoras.

O comentarista puritano John Trapp cita Theophylact, que disse: “Opus providentie Dei; non ut solveratur Christus, sed ut servaretur uxor,” - ‘Uma obra providencial de Deus, não para salvar a Cristo, mas para servir a seu marido’(traduzido de John Trapp, A Commentary on the Old and New Testaments, - um comentário sobre o Antigo eo Novo Testamento, Transki Publications, Reimpressão de 1997, volume V, p. 271). Theophylact foi um habilidoso e sensível comentarista bíblico grego do século XII. Ele nos diz que o aviso de Prócula não foi dado para salvar a Cristo, mas para servir ao marido dela. "Não entres na questão desse justo" (Mateus 27:19). Deus serviu bem ao marido de Prócula com aquele sonho, mas ele rejeitou o aviso de sua esposa. Por favor, abram suas Bíblias em Atos 13: 28-31. Vamos ficar de pé e ler esses quatro versículos em voz alta.

“E embora não achassem alguma causa de morte, pediram a Pilatos que ele fosse morto. E, havendo eles cumprido todas as coisas que dele estavam escritas, tirando-O do madeiro [da cruz], o puseram na sepultura. Mas Deus o ressuscitou dos mortos; e Ele, por muitos dias, foi visto pelos que subiram com ele subiram da Galiléia a Jerusalém, e são suas testemunhas para com o povo” (Atos 13:28-31).

Jesus esta vivo. Ele ressuscitou dos mortos. Pilatos está morto. Ele não conseguiu ouvir o aviso piedoso de sua esposa. Ele perdeu a alma - para sempre no inferno.

Spurgeon disse que Prócula se levantará e condenará seu próprio marido, Pilatos, no Juízo Final. Spurgeon tinha em mente Mateus 12:42:

“A rainha do sul se levantará no Dia do Juízo com esta geração e a condenará ...” (Mateus 12:42).

Spurgeon disse:

     Não será uma mera imaginação se eu conceber que no último grande dia, quando Jesus estiver assentado no trono do julgamento, e Pilatos ficar ali para ser julgado pelas ações feitas no corpo, que sua esposa será uma testemunha veloz contra ele para condená-lo. Posso imaginar que no último grande dia haverá muitas cenas como essa, em que aqueles que mais nos amaram trarão as evidências mais pesadas contra nós, se ainda estivermos em nossos pecados. Sei como isso me afetou quando minha mãe, depois de colocar diante dos filhos o caminho da salvação, disse-nos: “Se você recusar a Cristo e perecer, não posso pleitear em seu favor e dizer que você era ignorante. Não, mas devo dizer amém à sua condenação. Não pude suportar isso! Minha mãe diria “amém” à minha condenação? E, no entanto, esposa de Pilatos, poderá você fazer o contrário? Quando todos precisam falar a verdade, o que você poderá dizer a não ser que seu marido foi terna e seriamente avisado por você e ainda assim entregou o Salvador a seus inimigos?
     Oh, meus ímpios ouvintes, minha alma e coração se dirigem a vocês. “Voltem-se, voltem-se para Cristo, por que morrer?” Por que pecar contra o Salvador? Deus conceda a vocês o não rejeitar sua própria salvação, mas podere, se voltar para Cristo e encontrar redenção eterna nEle. “Todo aquele que nele crê tem a vida eterna” (traduzido de C. H. Spurgeon, “The Dream of Pilate’s Wife,” (“O Sonho da Esposa de Pilatos” The Metropolitan Tabernacle Pulpit, Pilgrim Publications, 1973 reimpressão, volume 28, p. 132).

Junto a Pilatos Jesus chegou –
   Só, sem amigos, traído entrou:
Uma pergunta cruel soou
   O que farás de Cristo?
Continuar sempre neutro
   Tu não conseguirás,
Um dia Cristo perguntará:
   “Que é que de Mim farás?”
(“O que Tu Farás de Cristo?” de Albert B. Simpson, 1843-1919).


AO ESCREVER PARA DR. HYMERS, VOCÊ PRECISA MENCIONAR O PAÍS DO QUAL VOCÊ ESTÁ ESCREVENDO, CASO CONTRÁRIO ELE NÃO PODERÁ RESPONDER SEU E-MAIL. Se estes sermões o abençoam envie um e-mail para o Dr. Hymers para dizer-lhe, mas sempre inclua o país do qual você está escrevendo. O e-mail do Dr. Hymers é: rlhymersjr@sbcglobal.net (clique aqui). Você pode escrever para Dr. Hymers em qualquer idioma, mas, se puder, escreva em Inglês. Se você quiser escrever para Dr. Hymers pelo correio, seu endereço é: P. O. Box 15308, Los Angeles, CA 90015. Você pode contatá-lo via telefone: (818) 352-0452.

(FIM DE SERMÃO)
Você pode ler sermões do Dr. Hymers cada semana na Internet
em www.sermonsfortheworld.com.
Clique no “Sermão em Português.”

Estes manuscritos de sermão não estão protegidos com direitos autorais. Você pode usá-
los sem permissão do Dr. Hymers. Porém, todas as mensagens de vídeo do Dr. Hymers
estão com direitos autorais e podem ser usados somente com permissão.

Solo cantado antes do Sermão:
“What Will You Do With Jesus?” (por Albert B. Simpson, 1843-1919).


O ESBOÇO DO

PILATOS E PRÓCULA

PILATE AND PROCULA

por Dr. R. L. Hymers, Jr.

“E, estando ele assentado no tribunal, sua mulher mandou-lhe dizer: Não entres na questão desse justo, porque num sonho muito sofri por causa dele” (Mateus 27:19).

(Mateus 21:9-11, 12-14; 27:14; João 19:11)

I.    Primeiro, foi uma advertência contra o pecado. João 19:12;
Mateus 27:24; Provérbios 29:25.

II.   Em segundo lugar, foi um aviso que foi rejeitado.
Mateus 16:25-26; Marcos 8:35; Lucas 9:24; 17:33.

III.  Em terceiro lugar, foi um aviso que teve conseqüências esmagadoras.
Atos 13:28-31; Mateus 12:42.