Print Sermon

Os manuscritos dos sermões e videos do site www.sermonsfortheworld.com alcançam agora cerca de 1.500.000 computadores em mais de 215 países por ano. Centenas de outros assistem os vídeos noYouTube, mas rapidamente deixam o YouTube, pois cada vídeo os redireciona para nosso website. O Youtube redireciona as pessoas para nosso website. Os manuscritos dos sermões são traduzidos em 36 idiomas para por volta de 120.000 pessoas por mês. Estes sermões manuscritos não estão protegidos por direitos autorais, assim pregadores podem usá-los sem nossa autorização. Por favor clique aqui para saber como fazer uma doação mensal para ajudar-nos nesta grande obra de espalhar o Evangelho para todo o mundo, incluindo as nações muçulmanas e hindus.

Ao escrever para Dr. Hymers, mencione sempre o país no qual você vive, caso contrário ele não poderá responder-lhe. O email do rlhymersjr@sbcglobal.net.




A PROVA DA FILIAÇÃO DE CRISTO!

THE PROOF OF CHRIST’S SONSHIP!
(Portuguese)

por Dr. R. L. Hymers, Jr.

Sermão pregado no Tabernáculo Batista de Los Angeles
Noite de Sábado, 15 de abril de 2017
A sermon preached at the Baptist Tabernacle of Los Angeles
Saturday Evening, April 15, 2017

“Acerca de seu Filho, que nasceu da descendência de Davi segundo a carne; Declarado Filho de Deus em poder, segundo o Espírito de santificação, pela ressurreição dos mortos, - Jesus Cristo, nosso Senhor” (Romanos 1:3-4).


Eu admiro grandemente o Dr. Wilbur M. Smith pelo seu imenso conhecimento da literatura cristã e pela sua integridade ao deixar o Seminário Fuller em 1963, ao afastar-se da inerrância da Bíblia e começar a abraçar o liberalismo (tradução de Harold Lindsell, Ph. D., The Battle for the Bible, edição de 1978, pp. 110-112). O Dr. Smith fez uma pergunta pungente sobre Romanos 1:4, "Eu me pergunto por que nossos grandes pregadores nunca pregam, ou pelo menos nunca publicam um sermão sobre este texto que assegura a fé?" (traduzido de Wilbur M. Smith, DD, Therefore I Stand, Keats Publishing, edição de 1981, página 583). Eu creio que a razão pode estar no fato de que tem havido pouquíssima pregação sobre a ressurreição de Cristo nos últimos 125 anos, especialmente desde o surgimento do "decisionismo". Desde o tempo de CG Finney, os sermões têm sido cada vez mais voltado para o homem, e ao que o homem faz. Nestes dias, os pregadores têm estado propensos a deixar as coisas de Deus de lado como pano de fundo. Em vez disso, eles concentram sua atenção no trabalho do homem. Assim, o cristianismo evangélico tornou-se em grande parte antropológico e ao invés de teológico, psicológico ao invés de cristológico, antropocêntrico ao invés de Cristocêntrico.

Todos os sermões, exceto um, registrados no livro dos Atos, tinham a ressurreição como ponto central. Os Apóstolos não podiam pregar sem falar da ressurreição de Cristo! Estava no centro, no coração do Evangelho que eles pregavam. Hoje, porém, se a ressurreição de Cristo é mencionada, ela é relegada à manhã do domingo de Páscoa. Mesmo assim, os ministros raramente pregam sobre seus aspectos doutrinários.

Em seu livro Christless Christianity (Cristianismo sem Cristo), Dr. Michael Horton ressalta que em muitas Igrejas Conservadoras, os sermões de Páscoa frequentemente são sobre “assim como Jesus superou seus obstáculos” nós também podemos [ mostrando que] os evangélicos hoje estão tão propensos quanto os [liberais] a falar sobre psicologia pop, política, e moralismo ao invés do evangelho” (Michael Horton, Ph.D., Christless Christianity: The Alternative Gospel of the American Church, Baker Books, 2008, p. 30). É estranho que o Dr. R. A. Torrey, a quem eu tanto admiro, não tenha sequer um sermão sobre a ressurreição de Cristo em seu famoso livro, How to Work for Christ (Fleming H. Revell, n.d.). Dr. Torrey escreveu 156 páginas de esboços de sermões para pregadores, mas nem sequer um deles é inteiramente dedicado à ressurreição de Jesus! Certamente, a situação é ainda pior hoje em dia!

Checando os hinários modernos, encontro apenas cerca de dez hinos sobre a ressurreição de Cristo. Todos eles, com excessão de apenas um, foram escritos antes do século XX. Dois foram escritos no século XVIII, três no século XIX, um no século XVI, um no século XVII, um no século XV e dois no século VIII. O único hino realmente bom sobre a ressurreição escrito no século 20 é "Alive Again" escrito por Paul Rader, mas não aparece em qualquer hinário que eu tenha conhecimento. Fique de pé e cante o coro comigo!

O que estava morto, vivo novamente está,
   O que estava morto, vivo novamente está,
Quebrando da morte a garra fria e forte
   O que estava morto, vivo novamente está!
(Tradução livre de “Alive Again” por Paul Rader, 1878-1938).

Podem sentar-se. Você pode escrever para mim (P.O. Box 15308, Los Angeles CA 90015) e pedir a letra e música do hino de Paul Rader. Mais uma vez, eu creio que a falta de hinos modernos sobre a ressurreição mostra que este assunto tão importante tem sido negligenciado por muito tempo, desde os dias de Finney. Cristo é:

“Declarado Filho de Deus em poder ... pela ressurreição dos mortos” (Romanos 1: 4),

Todavia, praticamente ninguém prega sobre isso, e quase nunca cantamos sobre isso! Não me admira de que as igrejas no mundo ocidental estejam secando e desaparecendo! Sem a fé no Cristo ressuscitado, não há esperança de reavivamento, e nenhuma mensagem viva - pois metade do Evangelho tem sido esquecida - amplamente eliminada de nossa pregação! Deus nos ajude!

Eu tenho percebido que os cristãos do Terceiro Mundo são muito mais aptos a enfatizar o Cristo ressurreto do os que vivem na Europa e na América. Não me admira de que o cristianismo esteja crescendo lá, mas estagnando aqui!

Eu me correspondi por e-mail com um jovem de vinte e poucos anos procedente de um país do Terceiro Mundo. Ele assim me contou "sofri tortura severa na minha infância para [tentar me fazer] renunciar à fé cristã. Eu pedi socorro, mas ninguém veio, e vi muitos [cristãos] morrerem ... As crianças estão sendo perseguidas e colocadas em asilos na Índia, em Mianmar, são repetidamente torturadas com choques elétricos para abandonar a Jesus ... Eu sou um desses sobreviventes ". Quando li aquilo chorei. Onde podemos encontrar crianças ou jovens como esses aqui na América, ou o Ocidente de um modo geral? Esse jovem disse que ele e as outras crianças tiveram um encontro com o Cristo ressurreto. Quando experimentaram o Cristo ressurreto, eles souberam que Ele era o Filho de Deus. Então nenhuma tortura com choque elétrico ou espancamentos poderia fazê-los desistir de Jesus. Eles sabiam que Ele estava vivo - ressurreto dentre os mortos! Isso os tornava verdadeiros cristãos! E é isso que o Apóstolo Paulo está dizendo em nosso texto. Cristo é:

“Declarado Filho de Deus em poder ... pela ressurreição dos mortos” (Romanos 1 4),

Cante o coro outra vez:

O que estava morto, vivo novamente está,
   O que estava morto, vivo novamente está,
Quebrando da morte a garra fria e forte
   O que estava morto, vivo novamente está!

No grego, a palavra "declarado" significa "especificado", "marcado" (Strong # 3724). Jesus foi especificado, marcado como o Filho de Deus pela Sua ressurreição dentre os mortos. A Bíblia de Genebra de 1599 diz "mostrado e manifesto" (nota # 1 em Romanos 1: 4). Cristo foi "mostrado e manifesto" como o Filho de Deus pela Sua ressurreição dos mortos,

“Declarado Filho de Deus em poder ... pela ressurreição dos mortos” (Romanos 1:4),

I. Primeiro, como Jesus foi declarado ser o Filho de Deus.

Não foi espedificamente por Seus ensinamentos. Ele ensinou muitas coisas maravilhosas, incluindo o Sermão da Montanha. Mas Seus ensinamentos, por si sós, não provaram que Ele era o Filho de Deus. Nem foi por Seus milagres, nem mesmo o ressussitar três pessoas dentre os mortos. Elias, o profeta, ressussitou um menino dentre os mortos nos tempos do Antigo Testamento e ele não era o Filho de Deus (I Reis 17: 17-24). Eliseu também ressussitou um menino dentre os mortos (II Reis 4: 32-37), mas Eliseu não era o Filho de Deus. Moisés também realizou muitos milagres, incluindo abrir o Mar Vermelho, mas ele não era o Filho de Deus. O único sinal que declarou Jesus como o Filho de Deus foi a ressurreição de Seu próprio corpo de dentre os mortos. O próprio Jesus disse que Sua ressurreição seria o sinal que Ele daria a uma geração perversa:

“Mas ele lhes respondeu e disse: Uma geração má e adúltera pede um sinal, porém não se lhe dará outro sinal, senão o do profeta Jonas, 40pois,como Jonas esteve três dias e três noites no ventre da baleia, assim estará o Filho do Homem três dias e três noites no seio da terra” (Mateus 12:39-40).

Jesus foi condenado à morte por admitir ao sumo sacerdote que Ele era o Filho de Deus (Mateus 26:63-66). Ao ser pendurado na cruz, os principais sacerdotes zombavam dele, dizendo:

“Ele confiou em Deus; livre-O agora, se o ama, porque disse: Sou Filho de Deus” (Mateus 27:43).

Deus, todavia, mostrou Sua aprovação de Jesus como Seu Filho, ressuscitando-o dentre os mortos. Jesus foi:

“Declarado Filho de Deus em poder ... pela ressurreição dos mortos” (Romanos 1:4),

Deus o declarou Seu Filho, ressussitando Seu corpo da morte no terceiro dia! Cante isso!

O que estava morto, vivo novamente está,
   O que estava morto, vivo novamente está,
Quebrando da morte a garra fria e forte
   O que estava morto, vivo novamente está!

II. Segundo, porque Jesus foi declarado ser o Filho de Deus.

O Dr. Charles Hodge (1797-1878), por anos professor de Novo Testamento no Seminário Teológigo de Princeton, disse:

Não foi até que Cristo houvesse ressuscitado que a evidência de sua Filiação foi completa, ou a sua importância conhecida em sua plenitude pelos apóstolos ... Foi pela Sua ressurreição que ele foi provado ser o Filho de Deus ... Em muitas passagens [das Escrituras] a ressurreição de Cristo é representada como a grande evidência conclusiva da veracidade de tudo o que Cristo ensinou e da validade de todas as suas declarações ... como Cristo declarou abertamente ser o Filho de Deus, Sua ressurreição dos mortos foi O selo de Deus à verdade de sua declaração. Se ele tivesse continuado sob o poder da morte, Deus teria desautorizado [vetado] sua declaração de ser seu Filho; Mas, ao ressuscitá-lo dentre os mortos, Deus reconheceu-O publicamente, dizendo: Tu és meu Filho, hoje Te declaro como tal (tradução de Charles Hodge, Ph.D., A Commentary on Romans, The Banner of Truth Trust, edição de 1997 , Pp. 20-21, notas sobre Romanos 1: 4).

Assim sendo, a evidência de que Cristo era o Filho de Deus foi dada por Sua ressurreição, e verificou como veradeiro tudo o que Ele ensinou.

O Dr. Wilbur M. Smith disse que a ressurreição de Cristo garante:

... a veracidade, a confiabilidade de todas as declarações de Cristo. [Uma vez que Ele ressuscitou] dos mortos [como Ele mesmo previu que faria] e esta previsão aconteceu, então isso me garante que tudo mais que nosso Senhor declarou também é seja verdade ... Quando nosso Senhor disse que quem quer que Nele cresse teria vida eterna, e quem se recusasse a crer Nele seria eternamente condenado, Ele falou a verdade ... Nós jamais podemos aceitar a ressurreição de Cristo, e termos qualquer dúvida sobre a veracidade de qualquer outra declaração que tenha saído de Seus lábios (tradução de Smith, Therefore I Stand, ibid., Pp. 418-419).

Jesus disse a Seus Discipulos,

“E, tomando consigo os doze, disse-lhes: Eis que subimos a Jerusalém, e se cumprirá no Filho do Homem tudo o que pelos profetas foi escrito. Pois há de ser entregue aos gentios e escarnecido, injuriado e cuspido; e, havendo-o açoitado, o matarão; e, ao terceiro dia, ressuscitará” (Lucas 18:31-33).

O que Jesus previu em Lucas 18:31-33 literalmente aconteceu. Ele foi escarnecido, espancado, cuspido, açoitado e morto na Cruz. Mas no terceiro dia depois da Sua crucificação Ele ressuscitou dentre os mortos. O cumprimento exato da predição de Jesus sobre Si próprio garante a veracidade de tudo o mais que Ele disse, pois Ele foi

“Declarado Filho de Deus em poder ... pela ressurreição dos mortos" (Romanos 1:4).

“O que estava morto, vivo novamente está.” Sing it!

O que estava morto, vivo novamente está,
   O que estava morto, vivo novamente está,
Quebrando da morte a garra fria e forte
   O que estava morto, vivo novamente está!

Porque Ele ressuscitou dos mortos, exatamente como Ele disse que faria, nós podemos ter a certeza de que Ele também estava dizendo a verdade quando disse:

“Se não vos converterdes ... de modo algum entrareis no reino dos céus” (Mateus 18:3).

Nós devemos levar muito a sério essas palavras porque elas vieram dos lábios do Ressurreto Filho de Deus. Você já converteu-se? Tem certeza de que já converteu-se? O Filho de Deus disse que você não poderá de maneira alguma "entrar no Reino dos céus" a não ser que tenha sido convertido. Oh, quão seriamente você deve pensar sobre sua conversão! Quão cuidadosamente você deve certificar-se de que foi convertido!

O Ressurreto Filho de Deus. também disse:

“Eu sou o caminho, a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim” (João 14:6).

Você deveria seriamente ouvir Suas Palavras! Deveria estar ansioso para vir a Ele e ser salvo! Deveria estar cuidadosamente expulsando de sua mente todas as superstições e falsas idéias religiosas, e crer em Jesus somente - porque Ele disse, "ninguém vem ao Pai, senão por mim".

Outra vez, o Ressurreto Filho de Deus disse:

“Aquele que vem a mim de maneira alguma o lançarei fora” (João 6:37).

Oh, como você deveria “esforçar-se para entrar” por Ele! (Lucas 13:24). Como você deveria estar pensando cuidadosamente sobre a vinda a Jesus.

Lembre-se que Ele disse:

"Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei" (Mateus 11:28).

Nós estamos orando por você, para que ouça o Ressurreto Filho de Deus. Estamos orando para que você venha diretamente a Ele, para que você seja lavado de seu pecado pelo Seu Sangue derramado na Cruz - e seja salvo por Sua vida ressurreta. Ouça-O! Creia no que Ele disse! Venham diretamente a Ele e seja salvo, assim como Ele lhe disse para fazer - pois Ele é:

“Declarado Filho de Deus em poder ... pela ressurreição dos mortos” (Romanos 1:4),

O que estava morto, vivo novamente está,
   O que estava morto, vivo novamente está,
Quebrando da morte a garra fria e forte
   O que estava morto, vivo novamente está!
(Tradução livre de “Alive Again” por Paul Rader, 1878-1938).


AO ESCREVER PARA DR. HYMERS, VOCÊ PRECISA MENCIONAR O PAÍS DO QUAL VOCÊ ESTÁ ESCREVENDO, CASO CONTRÁRIO ELE NÃO PODERÁ RESPONDER SEU E-MAIL. Se estes sermões o abençoam envie um e-mail para o Dr. Hymers para dizer-lhe, mas sempre inclua o país do qual você está escrevendo. O e-mail do Dr. Hymers é: rlhymersjr@sbcglobal.net (clique aqui). Você pode escrever para Dr. Hymers em qualquer idioma, mas, se puder, escreva em Inglês. Se você quiser escrever para Dr. Hymers pelo correio, seu endereço é: P. O. Box 15308, Los Angeles, CA 90015. Você pode contatá-lo via telefone: (818) 352-0452.

(FIM DE SERMÃO)
Você pode ler sermões do Dr. Hymers cada semana na Internet
em www.sermonsfortheworld.com.
Clique no “Sermão em Português.”

Estes manuscritos de sermão não estão protegidos com direitos autorais. Você pode usá-
los sem permissão do Dr. Hymers. Porém, todas as mensagens de vídeo do Dr. Hymers
estão com direitos autorais e podem ser usados somente com permissão.

Leitura das Escrituras feita antes do Sermão por Noah Song: Lucas 18:31-34
Solo Cantado antes do Sermão por. Benjamin Kincaid Griffith:
“Hail, Thou Once-Despised Jesus!” (por John Bakewell, 1721-1819).


O ESBOÇO DO

A PROVA DA FILIAÇÃO DE CRISTO!

THE PROOF OF CHRIST’S SONSHIP!

por Dr. R. L. Hymers, Jr.

“Acerca de seu Filho, que nasceu da descendência de Davi segundo a carne; Declarado Filho de Deus em poder, segundo o Espírito de santificação, pela ressurreição dos mortos, - Jesus Cristo, nosso Senhor” (Romanos 1:3-4).

I.   Primeiro, como Jesus foi declarado ser o Filho de Deus, I Reis 17:17-24;
II Reis 4:32-37; Mateus 12:39-40; 26:63-66; 27:43.

II.  Segundo, porque Jesus foi declarado ser o Filho de Deus, Lucas 18:31-33;
Mateus 18:3; João 14:6; 6:37; Lucas 13:24; Mateus 11:28.