Print Sermon

O objetivo deste site é fornecer gratuitamente manuscritos e vídeos de sermões para pastores e missionários em todo o mundo, especialmente o Terceiro Mundo, onde existem poucos seminários teológicos ou escolas bíblicas.

Estes manuscritos e vídeos de sermões alcançam agora cerca de 1.500,000 computadores em mais de 221 países anualmente através do site: www.sermonsfortheworld.com. Centenas de outras pessoas assistem os vídeos noYouTube, mas rapidamente deixam o YouTube, pois cada vídeo os redireciona para nosso website. O YouTube redireciona as pessoas para nosso website. Os manuscritos dos sermões são traduzidos para 39 idiomas para cerca de 120.000 computadores mensalmente. Estes sermões manuscritos não estão protegidos por direitos autorais, para que, assim, pregadores possam usá-los sem nossa autorização. Clique aqui para saber como fazer uma doação mensal para ajudar-nos nesta grande obra de divulgar o Evangelho para todo o mundo, incluindo nações muçulmanas e hindus.

Ao escrever para Dr. Hymers, mencione sempre o país no qual você vive, caso contrário ele não poderá responder-lhe. O email do Dr. Hymers é rlhymersjr@sbcglobal.net.




CAIAFÁS – O HOMEM QUE PLANEJOU
O ASSASSINATO DE CRISTO!

CAIAPHAS – THE MAN WHO PLANNED
THE MURDER OF CHRIST!
(Portuguese)

Sermão escrito por Dr. R. L. Hymers, Jr.
e pregado por John Samuel Cagan
no Tabernáculo Batista de Los Angeles
Manhã do Dia do Senhor, 9 de abril de 2017
A sermon written by Dr. R. L. Hymers, Jr.
and preached by Mr. John Samuel Cagan
at the Baptist Tabernacle of Los Angeles
Lord’s Day Morning, April 9, 2017

“E Caifás, um deles, que era sumo sacerdote naquele ano, lhes disse: Vós nada sabeis, nem considerais que nos convém que um homem morra pelo povo e que não pereça toda a nação. Ora, ele não disse isso de si mesmo, mas, sendo o sumo sacerdote naquele ano, profetizou que Jesus devia morrer pela nação. E não somente pela nação, mas também para reunir em um corpo os filhos de Deus que andavam dispersos. Desde aquele dia, pois, consultavam-se para o matarem” (João 11:49-53).


Esse acontecimento ocorreu no final do ministério de Cristo. Depois de haver Jesus ressuscitado Lázaro dos mortos, retirou-se para o campo. Ele não voltou a Jerusalém até a última semana antes de Sua crucificação. Poder-se-ia pensar que o fato de Jesus haver ressussitado Lázaro dos mortos teria convencido os líderes religiosos, mas isso não aconteceu. Jesus havia dito anteriormente:

“Se eles não ouvem a Moisés e aos profetas, tampouco acreditarão, ainda que algum dos mortos ressuscite” (Lucas 16:31).

As pessoas frequentemente não são convencidas por haverem visto milagres. O milagre que eles precisam é a obra de convicção do Espírito de Deus em suas almas, que estão "mortas em delitos e pecados" (Efésios 2: 1). Se um homem não tem uma milagrosa convicção de pecado, ele não vai ser convertido. Ele não se converterá mesmo que "alguém ressuscitasse dentre os mortos" (Lucas 16:31). A despertadora convicção do Espírito de Deus, que faz com que os homens sintam o seu pecado, é o milagre que precisam receber para experimentar a verdadeira conversão.

Milagres podem até fazer com que pessoas endureçam ainda mais seus corações contra Deus. Ora, quando os principais sacerdotes e os fariseus viram que Jesus estava operando "muitos milagres", convocaram "um conselho", um comitê do Sinédrio (João 11:47). Nesse concílio, aconteceu uma coisa estranha. O sumo sacerdote Caifás deu uma precisa profecia a respeito de Cristo. O Comentário do Novo Testamento descreve a cena: Caifás era um "manipulador, um oportunista, que não sabia o significado da justiça ou equidade ... Ele não se encolheu de derramar sangue inocente. [Ele fez o que ele fez] olhar como se fosse a única coisa necessária para o bem-estar do povo. Caifás invejou Jesus. Caifás queria que Jesus fosse morto para satisfazer suas próprias necessidades egoístas. A fim de efetuar a condenação de Jesus, ele iria usar dispositivos, que eram produto de raciocínio, cálculo inteligente ... Ele era um hipócrita, pois no julgamento final ... quando ele estava cheio de satisfação interior porque ele tinha encontrado o que considerava terreno sólido para a condenação de Cristo, ele rasgou sua veste sacerdotal como se estivesse dominado por profunda tristeza! Assim era Caifás. Veja também Josefo, Antiquities, XVIII, 4: 3 "(tradução de William Hendriksen, Th.D., New Testament Commentary, Baker Book House, edição de 1981, volume I, p.163, nota em João 11: 49-50). Agora observe novamente que este maligno Sumo Sacerdote deu uma profecia. Como Balaão no Antigo Testamento, este homem mau realmente deu uma verdadeira profecia,

“E Caifás, um deles, chamado, que era o sumo sacerdote naquele ano, disse-lhes: Vós nada sabeis, nem considerais que nos convém que um homem morra pelo povo, e que não pereça toda a nação. Ora, ele não disse isso de si mesmo; mas, sendo sumo sacerdote naquele ano, profetizou que Jesus devia morrer pela nação; mas também para reunir em um corpo os filhos de Deus que andavam dispersos” (João 11: 49-52).

O texto bíblico, todavia, continua:

“Desde aquele dia, pois, consultavam-se para o matarem” (João 11:53)

.

Uma semana depois, Caifás enviou alguns dos guardas do Templo para prender Jesus enquanto Ele orava no Jardim do Getsêmani. Esses guardas O levaram a Caifás, que lhe disse: "Dize-nos se tu és o Cristo, o Filho de Deus" (Mateus 26:63). Quando Jesus respondeu afirmativamente:

“Então, o sumo sacerdote rasgou as suas vestes, dizendo: Blasfemou; para que precisamos ainda de testemunhas? Eis que bem ouvistes, agora, a sua blasfêmia. Que vos parece? E eles, respondendo, disseram: É réu de morte. Então, cuspiram-lhe no rosto e lhe davam murros, e outros o esbofeteavam, dizendo: Profetiza-nos, Cristo, quem é o que te bateu?” (Mateus 26:65-68).

O Sumo Sacerdote não tinha autoridade para executar pessoas. Portanto Caifás arrastou Jesus até Pôncio Pilatos, governador romano – e conclamou que os romanos o crucificassem.

É difícil produzir um sermão biográfico como este, mas é justo tirar duas conclusões gerais das palavras e ações desse homem, José Caifás, o Sumo Sacerdote que planejou a crucificação de Cristo.

I. Primeiro, Caifás era muito religioso, e até proferiu uma profunda verdade sobre o sacrifício vicário de Cristo.

Caifás era genro do antigo Sumo Sacerdote Anás. Ele manteve a posição de Sumo sacerdote por 18 anos, mais do que qualquer outro naquele tempo.

Infelizmente, podemos ver que tipo de homem ele era. Por exemplo, várias vezes, quando o Dr. Hymers era jovem, lhes adverteram dizendo: "Você não pode pregar isso", ou "Você não pode pregar assim". À medida que os anos se passaram, tornou-se aparente que essa advertência estava equivocada. Os homens que assim lhe adverteram estavam mais preocupados com suas posições do que com a verdade, assim como é relatado na Bíblia. Um pregador não pode agradar os homens que só se preocupam em manter seus empregos, e não perturbar ninguém. Caifás era esse tipo de homem. Ele sabia que Jesus havia operado "muitos milagres" (João 11:47), mas ele só estava interessado em por um fim no ministério de Jesus por conveniência política. Ele pensou: "Se o deixarmos livre, nós perderemos algo".

Jesus disse o que disse, e e fez o que fez por amor e obediência a Deus. Caifás disse o que disse e fez o que fez sem de qualquer maneira pensar em Deus. Há muitos como ele hoje em nossas igrejas. Ele era muito religioso. Sem nem mesmo perceber, ele até mesmo proferiu a verdade sobre a expiação vicária de Cristo quando disse:

“Convém que um homem morra pelo povo” (João 11:50).

Assim sendo, ele falou uma profunda verdade sobre a morte vicária de Cristo pelos pecadores, ecoando as palavras de Isaías:

“Mas Ele foi ferido pelas nossas transgressões e moído pelas nossa iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre Ele e pelas Suas pisaduras formos sarados” (Isaias 53:5).

Mas muito cuidado! Você pode conhecer essas palavras sem delas receber qualquer benefício! Esse foi o caso de Caifás. Ele conhecia as palavras certas, mas elas não tinham qualquer efeito em sua vida.

Este Sumo Sacerdote é o mesmo que ameaçou Pedro quando este pregou sobre a ressurreição de Jesus dentre os mortos. Todavia, por medo do povo, ele ameaçou a Pedro e o deixou ir (Atos 4:21). Esse Caifás é o mesmo Sumo Sacerdote que lançou os Apóstolos na prisão (Atos 5: 17-18). Mas Deus enviou um anjo para abrir a porta da prisão e libertá-los. Caifás, então, enviou oficiais para trazerem Pedro ao Sinédrio “sem violência ... para que não fossem apedrejados” (Atos 5:26). Tantas eram as pessoas que estavam ouvindo os Apóstolos que Caifás temeu que eles o apedrejassem até a morte caso ele fizesse aos apóstolos qualquer mal! Um dos homens do Sinédrio, chamado Gamaliel, disse a Caifás e aos outros:

“Dai de mão a estes homens, e deixai-os, porque, se este conselho ou esta obra é de homens, se desfará, mas, se é de Deus, não podereis desfazê-la, para que não aconteça serdes[vós] também achados combatendo contra Deus.” (Atos 5:38-39).

Caifás e os outros concordaram com Gamaliel. Todavia, o que fizeram eles? Ficaram preocupados em estar combatendo contra Deus? Não! Eles batiam nos Apóstolos e "ordenavam que não falassem em nome de Jesus, e os deixavam ir" (Atos 5:40).

“E todos os dias,no templo e nas casas, não cessavam de ensinar e de anunciar a Jesus Cristo” (Atos 5:42).

E assim deixamos Caifás - enfraquecido, incapaz de deter a pregação do Evangelho e a propagação do cristianismo. Nunca passou pela sua mente pensar em Deus e arrepender-se de seu pecado. Ele foi mergulhou no jogo político - cheio de religião, sem temor a Deus – até, enfim, ser expulso do sacerdócio por Vitellus, o sucessor de Pilatos, alguns anos depois, em 36AD de acordo com Josefo ( traduzido de Antiquities, XVIII: 4, 2) . Não se sabe ao certo o que aconteceu com ele depois de haver sido deposto de sua posição. Um caixão de pedra calcária (ossário) contendo ossos de mortos foi descoberto em Jerusalém em 1991, com o nome de Caifás - que os arqueólogos acreditam ser seu verdadeiro caixão (traduzido de Archaeological Study Bible, Zondervan, 2005, p. 1609; nota em Mateus 26:3). Ele fica, então lembrado por ser “profundamente responsável pelo assassinato judicial de [Jesus] o prisioneiro inocente" (traduzido de John D. Davis, D.D., Davis Dictionary of the Bible, Baker Book House, edição de 1978, p.114)

II. Segundo, Caifás, assim como Caim, nunca se arrependeu – e jamais foi salvo.

Existe um paralelo real entre Caifás e Caim. Caim sabia que precisava trazer um sacrifício de sangue, como fez Abel. Mas Caim não se arrependeu. Em vez disso:

“Caim levantou-se contra seu irmão Abel, e matou-o” (Gên. 4:8).

Há uma conexão Neo Testamentária entre Caim e homens como Caifás. O Apóstolo João disse:

“Não como Caim que era do maligno e matou a seu irmão. E por que causa o matou? Porque as suas obras eram más, e as de seu irmão, justas. Meus irmãos, não vos maravilheis, se o mundo vos aborrece” (I João 3:12-13).

Assim como Caim, Caifás foi influenciado por Satanás, "o malígno. Como Caim, Caifás era do "mundo". Ele nunca parou de ouvir a Satanás. Ele nunca deixou o "mundo" para servir a Deus. Os essênios da comunidade judaica Qumran, que produziram os Pergaminhos do Mar Morto, foram muito críticos a Caifás, a quem chamaram de o "sacerdote ímpio" (traduzido de Archaeological Study Bible, ibid.).

Caim e Caifás dão uma advertência terrível para aqueles que são religiosos, mas permanecem perdidos. Tanto Caim quanto Caifás sabiam sobre o sacrifício de sangue. Tanto Caim quanto Caifás fora falaram diretamente com Deus. Deus o Filho falou diretamente a Caifás - como Ele fez com Caim (Gênesis 4: 6-7). Tanto Caim quanto Caifás desprezaram a voz de Deus, ouvindo suas próprias consciências, mergulhando em vidas egocêntricas. Tanto Caim como Caifás estarão diante de Cristo no Juízo Final, e Ele lhes dirá:

“Nunca vos conheci: apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade” (Mateus 7:23).

Eles, então, serão “lançados fora nas trevas exteriores: ali haverá choro e ranger de dentes” (Mateus 8:12).

Eu lhe alerto nesta manhã – Certifique-se de Pensar em Deus! Certifique-se de pensar em seu pecado! Certifique-se de que não está apenas dizendo as “palavras certas” Certifique-se de reconhecer os seus pecados!

“Senti as vossas misérias, e lamentai, e chorai; converta-se o vosso riso em pranto, e o vosso gozo, em tristeza” (Tiago 4:9)

Certifique-se que você teve uma experiência real de conversão. Certifique-se de haver-se encontrado face a face com Jesus Cristo e que seus pecados foram lavados em “Seu sangue” (Apocalipse 1:5). Não espere! Não recuse vir a Jesus! Não demore até que Deus desista de você e o deixe com seus sentimentos perversos!

Por tanto tempo o Salvador eu negligenciei
   Por tanto tempo ao meu pecado me apeguei
Por tanto tempo minha rejeição excusei
   E agora sem Ele perdido estou
Tarde, Oh, tão tarde! No entanto Ele à porta bate,
   E Jesus, o doce Salvador chama outra vez
(Tradução livre de“Too Long I Neglected”
por Dr. John R. Rice, 1895-1980).

Dr. Hymers, por favor venha e encerre nosso culto.


AO ESCREVER PARA DR. HYMERS, VOCÊ PRECISA MENCIONAR O PAÍS DO QUAL VOCÊ ESTÁ ESCREVENDO, CASO CONTRÁRIO ELE NÃO PODERÁ RESPONDER SEU E-MAIL. Se estes sermões o abençoam envie um e-mail para o Dr. Hymers para dizer-lhe, mas sempre inclua o país do qual você está escrevendo. O e-mail do Dr. Hymers é: rlhymersjr@sbcglobal.net (clique aqui). Você pode escrever para Dr. Hymers em qualquer idioma, mas, se puder, escreva em Inglês. Se você quiser escrever para Dr. Hymers pelo correio, seu endereço é: P. O. Box 15308, Los Angeles, CA 90015. Você pode contatá-lo via telefone: (818) 352-0452.

(FIM DE SERMÃO)
Você pode ler sermões do Dr. Hymers cada semana na Internet
em www.sermonsfortheworld.com.
Clique no “Sermão em Português.”

Estes manuscritos de sermão não estão protegidos com direitos autorais. Você pode usá-
los sem permissão do Dr. Hymers. Porém, todas as mensagens de vídeo do Dr. Hymers
estão com direitos autorais e podem ser usados somente com permissão.

Leitura das Escrituras antecedente ao Sermão feita por Noah Song: Mateus 27:3-5.
Solo Cantado antes do Sermão por. Benjamin Kincaid Griffith:
“Too Long I Neglected” (por Dr. John R. Rice, 1895-1980).


O ESBOÇO DO

CAIAFÁS – O HOMEM QUE PLANEJOU
O ASSASSINATO DE CRISTO!

CAIAPHAS – THE MAN WHO PLANNED
THE MURDER OF CHRIST!

Sermão escrito por Dr. R. L. Hymers, Jr.
e pregado por John Samuel Cagan

“E Caifás, um deles, que era sumo sacerdote naquele ano, lhes disse: Vós nada sabeis, nem considerais que nos convém que um homem morra pelo povo e que não pereça toda a nação. Ora, ele não disse isso de si mesmo, mas, sendo o sumo sacerdote naquele ano, profetizou que Jesus devia morrer pela nação. E não somente pela nação, mas também para reunir em um corpo os filhos de Deus que andavam dispersos. Desde aquele dia, pois, consultavam-se para o matarem” (João 11:49-53).

(Lucas16:31; Efésios 2:1; João 11:47-48, 49-52, 53;
Mateus 26:63, 65-68)

I.    Primeiro, Caifás era muito religioso, e até proferiu uma profunda verdade sobre o sacrifício vicário de Cristo. João 11:47, 50;
Isaias 53:5; Atos 4:21; 5:17-18, 26, 38-39, 40, 42.

II.   Segundo, Caifás, assim como Caim, nunca se arrependeu - e jamais foi salvo. Gênesis 4:8; I João 3:12-13; Gênesis 4:6-7; Mateus 7:23; 8:12;
Tiago 4:9; Apocalipse 1:5.