Print Sermon

Os manuscritos dos sermões e videos do site www.sermonsfortheworld.com alcançam agora cerca de 1.500.000 computadores em mais de 215 países por ano. Centenas de outros assistem os vídeos noYouTube, mas rapidamente deixam o YouTube, pois cada vídeo os redireciona para nosso website. O Youtube redireciona as pessoas para nosso website. Os manuscritos dos sermões são traduzidos em 35 idiomas para por volta de 120.000 pessoas por mês. Estes sermões manuscritos não estão protegidos por direitos autorais, assim pregadores podem usá-los sem nossa autorização. Por favor clique aqui para saber como fazer uma doação mensal para ajudar-nos nesta grande obra de espalhar o Evangelho para todo o mundo, incluindo as nações muçulmanas e hindus.

Ao escrever para Dr. Hymers, mencione sempre o país no qual você vive, caso contrário ele não poderá responder-lhe. O email do rlhymersjr@sbcglobal.net.




ORDEM E ARGUMENTO NA ORAÇÃO – PARTE I

ORDER AND ARGUMENT IN PRAYER – PART I
(Portuguese)

por Sr. John Samuel Cagan

Um sermão pregado no Tabernáculo Batista de Los Angeles Noite de Sexta-Feira, 2 de Setembro de 2016
A sermon preached at the Baptist Tabernacle of Los Angeles
Friday Evening, September 2, 2016

“Ah! Se eu soubesse que o poderia achar! Então me chegaria ao seu tribunal. Com boa ordem exporia ante ele a minha causa e a minha boca encheria de argumentos” (Jó 23:3-4).


Este sermão é baseado no sermão:“Ordem e Argumento na Oração” de C. H. Spurgeon. Os pensamentos de Spurgeon foram condensados em um Inglês mais simples. E eu, com a ajuda do Dr. Hymers e do Dr. Cagan, adicionei alguns pensamentos e versículos da Bíblia.

No versículo que acabamos de ler, Jó queria encontrar-se com Deus e orar a Ele. Ele não queria apenas falar com Deus de uma maneira normal. Havia algo mais sério nas intenções de Jó. Ele queria orar assim: "Quero, com boa ordem, expor minha causa ante Ele, e encher a minha boca de argumentos" (Jó 23:4). Há duas coisas a aprender com este versículo sobre oração verdadeira - sobre oração séria.

I. Em primeiro lugar a oração séria é ordenada – organizada.

Jó disse: “Eu exporia ante Ele a minha causa” (Job 23:4).

Pense sobre aquilo que você estará orando a respeito. Pense no que você realmente deseja. Concentre-se naquele desejo. Deve ser importante para você. Quando alguém fazia um pedido de oração a John R. Rice, ele nunca concordava em orar por aquele pedido. Ao contrário, ele dizia a pessoa que iria pedir a Deus que lhe desse um desejo ardente de orar por ele. Caso contrário ele não iria realmente querer o que estava pedindo e sua oração não seria uma verdadeira oração. O que você realmente deseja? Descubra porque você deseja aquilo. Tente entender porque o seu desejo ainda não tornou-se real. Porque ele está fora do seu alcance? Se você não está cativado por ele, peça a Deus por paixão. Orações complacentes tendem ser desorganizadas. Orações complacentes tendem a ser tímidas. Se você se aproxima de algo pela metade, você provavelmente não está preparado. Prepare-se antes de orar. Especialmente se você estiver liderando em oração, seja em casa ou na igreja, não confie em improvisação. Seu coração deve estar resoluto na tarefa à mão. Seu foco deve estar na situação. Você precisa de algo. Você precisa desesperadamente de algo. Mas você não pode alcançar aquilo. Está fora do seu alcance. Está fora de seu controle. E assim você está prestes a se aproximar do Deus do Universo, em nome de Jesus. Você vai se aproximar de Deus na tentativa de convencer a Deus. Convencê-Lo de que Ele deve conceder de acordo com suas necessidades. Essa é uma situação muito séria. Situação que não deve a ser abordada sem uma reflexão cuidadosa. Pense sobre o que você está orando.

Organize sua oração. Alguns pensam que a oração é o repetir constante do mesmo conjunto de pedidos. Outros pensam que a oração é uma repetição das mesmas coisas todas as vezes que oram. Se alguém ora pela mesma coisa todas as vezes, ele não pensou sobre a sua oração. Ele não parou um momento para investir-se em seu pedido com Deus. Há ainda os que pensam que oração seja o ato de dizer palavras religiosas. Mas a escolha das palavras não tomam o lugar de um argumento sincero. Se eu quisesse pedir algum dinheiro emprestado de você, eu não iria contar apenas com grandes palavras para fazer o meu argumento convincente. Você não seria convencido apenas por uma mudança em meu vocabulário, se o conteúdo do que eu lhe dissesse não fizesse sentido. Palavras religiosas não substituem um pensamento coerente.

Algumas pessoas pensam que orar é gritar com Deus. Mas o volume de uma pessoa não substitui argumento. Nem pular freneticamente de um pedido para o outro. Se um determinado pedido é importante para você, então não faz sentido que você passe por ele rapidamente indo para o próximo pedido, e para outro, e para o outro, sem apresentar completamente seu caso. Algumas pessoas oram em palavras muito gerais: "Querido Deus, abençoe a igreja, salve os perdidos, abençoe a mim e a minha família." Mas isso não investe muito pensamento. Isso é evidência de certa falta de sinceridade. Esse tipo de oração não é oração ordenada e organizada.

Se você tivesse que ir a um tribunal falar com o juiz, você pensaria sobre o que você iria dizer. Você consideraria cuidadosamente o que iria pedir. Você iria pensar sobre o que faria para convencer o juiz a dar-lhe o que estava pedindo. Eu posso até dizer que o seu envolvimento e preparação para aquela audiência cresceria em proporção à seriedade do seu pedido. Se você precisasse perguntar alguma coisa ao seu chefe no trabalho, você iria pensar sobre o que dizer e como dizê-lo. Faça o mesmo com Deus em oração. Não se aproxime de Deus com pensamentos rasos e superficiais. Não se aproxime de Deus com idéias incompletas. Aplique-se.

Considere os multiplos lados da situação. Como a situação impacta, não só você, mas as pessoas ao seu redor. Como a situação impactaria a glória de Deus? Como a situação impactaria o ministério de Deus e o progresso do Seu reino? Quais serão as consequências de não receber o que foi pedido? O que vai acontecer se Deus não conceder o seu pedido? Há muitos lados diferentes para cada situação. Uma única situação ou pedido não começa ou termina com apenas a sua experiência. Este pedido é importante. É importante para você. Ele também pode ser importante para sua família, ou sua igreja, ou seu amigo, ou talvez até mesmo para Deus. Lembre-se que Deus está ouvindo. Deus é muito maior e mais grandioso que um chefe ou um juiz humano.

Qual deve ser a sua atitude em oração? Lembre-se de que não somos nada além de "pó e cinzas" (Gênesis 18:27). Não temos nenhum direito, por nós mesmos, de pedir qualquer coisa a Deus. Mas é por causa de Jesus Cristo que você pode vir "corajosamente diante do trono da graça" (Hebreus 4:16). E, através de Cristo, você pode vir diretamente ao Pai. Se você orar em nome de Jesus, Ele vai ouvi-lo como Ele ouve o seu próprio Filho Jesus Cristo. Ao confiar em Cristo, por meio Dele você é filho ou filha de Deus. Isso não é uma coisa pequena. Você é amado e aceito por causa de Jesus. Deus vai ouvi-lo!

Pense sobre o que você irá pedir. Deixe claro aquilo que você deseja. Jesus nos disse que orássemos: "O pão nosso de cada dia nos dá hoje". (Mateus 6:11). Ao ensinar seus discípulos sobre a oração de Jesus deu a ilustração, "Amigo, empresta-me três pães" (Lucas 11: 5).

Se você quer orar por alguma coisa, ore por aquela coisa específica. Abraão orou: "Ó que viva Ismael diante de ti!" (Gênesis 17:18). Spurgeon disse: "Diga 'Ismael', se você quer dizer 'Ismael'."

Se você está orando para que alguém se converta, ore pela pessoa pelo nome. Quando você está orando em público, é suficiente apresentar o nome da pessoa a Deus em seus pensamentos. Mas mesmo não falando em voz alta, você ainda pode comunicar a Deus exatamente o que você está pedindo. Deus pode ouvir o gemido e o clamor de seu coração. Se você está fazendo um pedido, peça a Ele especificamente. "Ajuda-me a conseguir esse emprego." "Cure minha enfermidade (ou a enfermidade de outra pessoa)." "Ajude-me a obter nomes e números de telefone. Abra os corações e mentes das pessoas que eu encontrarei hoje à noite para que elas venham a dar-me seus nomes e números de telefone ".

Fazer orações sem pensar sobre elas, é estar fazendo vãs repetições. Jesus disse: "Quando orardes, não useis de vãs repetições, como os gentios; porque pensam que serão ouvidos pelo seu muito falar" (Mateus 6:7). Se todas as vezes que você ora, sua oração é uma lista de pedidos que você faz rotineiramente sem pensar - em casa ou na igreja - você está fazendo em vãs repetições. É a mesma coisa que rezar o rosário católico ou um canto budista.

Se você faz a mesma oração em toda reunião de oração da igreja apenas porque precisa dizer algo, não espere que ela seja respondida. Pense sobre o que você orando. Você está pedindo a Deus - uma pessoa - por algo específico. Então fale com Deus e peça-lhe o que deseja.

II. Em segundo lugar, a oração séria usa argumentos - razões.

Jó disse: "Eu ... encheria minha boca de argumentos" (Jó 23:4). "Eu iria encher minha boca com razões pelas quais Deus deveria dar-me aquilo que lhe pedi” Que tipo de argumento - raciocínio - deve ser usado?

Em primeiro lugar, fale dos atributos de Deus - como Ele é. Abraão, ao pedir a Deus que não destruisse Sodoma. Ele orou:

“Exterminarás o justo com o ímpio? E se houver [porventura] cinquenta justos na cidade? Ainda a destruirás e não pouparás o lugar por amor aos cinquenta justos que nela estão? Longe de ti fazer tal coisa: matar o justo com o ímpio, tratando o justo e o ímpio da mesma maneira. Longe de ti! Não agirá com justiça o juiz de toda a terra? (Genesis 18:23-25).

Abraão apelou para a justiça de Deus. Ele estava dizendo: "Caso existam existem 50 pessoas justas, irás Tu destruí-los juntamente com os ímpios?" Seria isso justo? "Não agirá com justiça o juiz de toda a terra?" Na verdade, ele continuou orando até que Deus concordou em não destruir a cidade, mesmo que houvesse apenas 10 pessoas justas lá. Observe que Abraão foi persistente. Abraão teve a coragem de arrazoar com Deus, apesar da ira. Abraão teve fé para pedir misericórdia, apesar do pecado. Abraão confiava o bastante nos atributos de Deus para envolver-se em tal argumento. Abraão não foi desrespeitoso. Abraão tinha tal respeito por Deus que ele pode apelar para a qualidade do caráter de Deus. Se Abraão não cresse que Deus era justo, seria prudente que ficasse em silêncio. Mas, Abraão sabia que Deus era justo. Portanto Abraão argumentou e arrazoou com Deus.

Deus é o mesmo hoje. A Bíblia diz: "Eu, o Senhor, não mudo" (Malaquias 3:6). A Bíblia diz: "Jesus Cristo é o mesmo ontem, e hoje, e eternamente" (Hebreus 13:8). Deus é agora, o mesmo que era então. Você pode orar a Deus, e Ele vai ouvi-lo, assim como Deus ouviu quando as pessoas oraram a Ele no passado. Em um tribunal de justiça, advogados, muitas vezes, apelam para “precedente judicial”. Precedente é um evento anterior que é aceito como um exemplo a ser considerado em uma situação similar. Quando você lê a Bíblia ou ouve a pregação da Bíblia, lembre-se daquilo que está lendo ou que está sendo pregado. Considere como o que Deus fez no passado se aplica ao que Deus pode fazer hoje. Preste atenção ao que Deus tem feito em sua vida. Use-os como referência para o que Deus pode fazer no futuro. Lembre-se do que Deus tem feito na vida das pessoas ao seu redor. Jesus disse a seus discípulos vigiarem e orarem. Conecte eventos aparentemente não relacionados através da ponte do poder de Deus que é a oração respondida. Pense sobre como isso é consistente com o caráter de Deus. Lembre-se do que Deus tem feito no passado. Apele para quem Deus é. Ore a Deus, da mesma forma como os grandes homens na Bíblia oraram.

Em segundo lugar, você pode apelar para a existência de Deus. Elias confrontou os profetas de Baal. Deus não respondeu as orações daqueles falsos profetas. Mas Elias orou para que Deus aceitasse o seu próprio sacrifício. Elias disse:

“Ó SENHOR, Deus de Abraão, de Isaque e de Israel, que hoje fique conhecido que tu és Deus em Israel e que sou o teu servo e que fiz todas estas coisas por ordem tua. Responde-me, ó SENHOR, responde-me, para que este povo saiba que tu, ó SENHOR, és Deus e que fazes o coração deles voltar para ti”.
(I Reis 18:36-37)

Elias orou: "Mostre-nos que Tu és o verdadeiro Deus." E Deus respondeu a oração de Elias. Deus enviou fogo do céu e queimou o sacrifício de Elias.

Anos mais tarde, após Elias haver sido levado ao Céu, seu discípulo Eliseu orou: "Onde está o Senhor Deus de Elias?" (II Reis 2:14). "Onde estás Tu, ó Deus?" Deus manifestou-se e dividiu as águas do rio Jordão para Eliseu. Deus mostrou que Ele era real.

Em terceiro lugar, fale das promessas de Deus - pois Ele será fiel à Sua Palavra. Em II Samuel, capítulo 7, Deus prometeu a Davi por meio do profeta Nathan que David teria um filho o qual iria construir o templo de Deus, e iria sentar-se no seu trono em Jerusalém, e que o povo de Israel duraria para sempre. Davi disse a Deus:

“Tu mesmo fizeste de Israel o teu povo particular para sempre, e tu, ó SENHOR, te tornaste o seu Deus.“Agora, SENHOR Deus, confirma para sempre a promessa que fizeste a respeito de teu servo e de sua descendência. Faze conforme prometeste, para que o teu nome seja engrandecido para sempre e os homens digam: ‘O SENHOR dos Exércitos é o Deus de Israel!’ E a descendência de teu servo Davi se manterá firme diante de ti.“Ó SENHOR dos Exércitos, Deus de Israel, tu mesmo o revelaste a teu servo, quando disseste: ‘Estabelecerei uma dinastia para você’. Por isso o teu servo achou coragem para orar a ti. Ó Soberano SENHOR, tu és Deus! Tuas palavras são verdadeiras, e tu fizeste essa boa promessa a teu servo. Agora, por tua bondade, abençoa a família de teu servo, para que ela continue para sempre na tua presença. Tu, ó Soberano SENHOR, o prometeste! E, abençoada por ti, bendita será para sempre a família de teu servo”. (II Samuel 7:24-29).

Davi orou a Deus para que Ele mantivesse Suas promessas e as cumprisse. A Bíblia diz: "Seja Deus verdadeiro, e todo homem mentiroso" (Romanos 3: 4). No Português moderno, poderíamos dizer: "Mesmo que todo homem fosse mentiroso, Deus é verdadeiro." A Bíblia diz: "O Senhor, teu Deus, é Deus, o Deus fiel, que guarda a aliança e a misericórdia para com os que o amam" ( Deuteronômio 7: 9). Deus cumpre Suas promessas. Você pode trazer as promessas de Deus a Ele em oração. Vou continuar a falar sobre este tema na próxima mensagem.

Ordem e argumento em oração requerem reflexão e preparação cuidadosa. Prepare-se, separando aquilo que você realmente deseja receber da parte de Deus. Pense cuidadosamente estando seguro de que você deve depender de Deus para este pedido. Após estar convencido de que você precisa de Deus para a resposta à essa necessidade, direcione seus pensamentos para a razão pela qual isso que deve acontecer. Por que esse pedido é importante? Por que é importante que ele seja concedido neste momento? Permita que esse pensamento vá construindo um senso de urgência e um desejo ardente dentro de você. O desejo de receber o que está pedindo é crucial para construir um argumento forte e coerente. Um forte argumento não resultará de um coração que não se prepara. Aborde seu pedido de múltiplas perspectivas. Evite orações que pendem para volume ou recitação desnecessária. Não repita suas orações impensadamente. Evite orações muito generalizadas. Seja específico em sua oração. Baseia suas orações, naquilo que Deus tem feito na Bíblia. Construa suas orações, reportando-se para o que Deus já fez em sua vida. Repetir continuamente as mesmas palavras não aumenta a probabilidade de Deus responder. Ao invés disso apresente-se a Deus com orações sinceras e ordenadas. Argumente com Deus. Apele para os atributos de Deus. Apele para a existência de Deus. Apele para as promessas de Deus. Deus honrará suas promessas. Deus ouvirá seus argumentos sinceros e ordenados de oração.

“Ah! Se eu soubesse que o poderia achar! Então me chegaria ao seu tribunal. Com boa ordem exporia ante ele a minha causa e a minha boca encheria de argumentos” (Jó 23:3-4).


AO ESCREVER PARA DR. HYMERS, VOCÊ PRECISA MENCIONAR O PAÍS DO QUAL VOCÊ ESTÁ ESCREVENDO, CASO CONTRÁRIO ELE NÃO PODERÁ RESPONDER SEU E-MAIL. Se estes sermões o abençoam envie um e-mail para o Dr. Hymers para dizer-lhe, mas sempre inclua o país do qual você está escrevendo. O e-mail do Dr. Hymers é: rlhymersjr@sbcglobal.net (clique aqui). Você pode escrever para Dr. Hymers em qualquer idioma, mas, se puder, escreva em Inglês. Se você quiser escrever para Dr. Hymers pelo correio, seu endereço é: P. O. Box 15308, Los Angeles, CA 90015. Você pode contatá-lo via telefone: (818) 352-0452.

(FIM DE SERMÃO)
Você pode ler sermões do Dr. Hymers cada semana na Internet
em www.sermonsfortheworld.com.
Clique no “Sermão em Português.”

Estes manuscritos de sermão não estão protegidos com direitos autorais. Você pode usá-
los sem permissão do Dr. Hymers. Porém, todas as mensagens de vídeo do Dr. Hymers
estão com direitos autorais e podem ser usados somente com permissão.


O ESBOÇO DO

ORDEM E ARGUMENTO NA ORAÇÃO – PARTE I

ORDER AND ARGUMENT IN PRAYER – PART I

por Sr. John Samuel Cagan

“Ah! Se eu soubesse que o poderia achar! Então me chegaria ao seu tribunal. Com boa ordem exporia ante ele a minha causa e a minha boca encheria de argumentos” (Jó 23:3-4).

I.   Em primeiro lugar a oração séria é ordenada – organizada, Gênesis 18:27;
Hebreus 4:16; Mateus 6:11; Lucas 11:5; Gênesis 17:18;
Mateus 6:7.

II.  Em segundo lugar, a oração séria usa argumentos – razões.
Gênesis 18:23-25; Malachias 3:6; Hebreus 13:8; I Reis 18:36-37;
II Reis 2:14; II Samuel 7:24-29; Romanos 3:4; Deuteronômio 7:9.