Print Sermon

Os manuscritos dos sermões e videos do site www.sermonsfortheworld.com alcançam agora cerca de 1.500.000 computadores em mais de 215 países por ano. Centenas de outros assistem os vídeos noYouTube, mas rapidamente deixam o YouTube, pois cada vídeo os redireciona para nosso website. O Youtube redireciona as pessoas para nosso website. Os manuscritos dos sermões são traduzidos em 36 idiomas para por volta de 120.000 pessoas por mês. Estes sermões manuscritos não estão protegidos por direitos autorais, assim pregadores podem usá-los sem nossa autorização. Por favor clique aqui para saber como fazer uma doação mensal para ajudar-nos nesta grande obra de espalhar o Evangelho para todo o mundo, incluindo as nações muçulmanas e hindus.

Ao escrever para Dr. Hymers, mencione sempre o país no qual você vive, caso contrário ele não poderá responder-lhe. O email do rlhymersjr@sbcglobal.net.




SEIS ERRORES MODERNOS SOBRE REAVIVAMENTO

(SERMÃO NÚMERO 15 SOBRE REAVIVAMENTO)
SIX MODERN ERRORS ABOUT REVIVAL
(SERMON NUMBER 15 ON REVIVAL)
(Portuguese)

por Dr. R. L. Hymers, Jr.

Sermão pregado no Tabernáculo Batista de Los Angeles
Dia do Senhor de noite, 16 de Novembro, 2014
A sermon preached at the Baptist Tabernacle of Los Angeles
Lord’s Day Evening, November 16, 2014


Meu sujeito esta noite é “Seis Errores Modernos Sobre Reavivamento.” Eu primeiramente fiquei interessado sobre reavivamento atrás em 1961. Eu tinha comprado um livro pequeno na livraria de Biola sobre o First Great Awakening [Primeiro Grande Depertamento]. Isto conteve extratos desde jornal de John Wesley, e foi publicado por Moody Press. Eu tenho estado pensando sobre reavivamento, e orando por isso, por mais de cinquenta e três anos. E tem sido meu privilégio de experienciar dois extraordinários reavivamentos nas igrejas Batistas. Estes não foram reuniões evangelísticas, ou reuniões “carismáticas.” Estes foram o tipo de reavivamento que nós lemos em livros de história Cristiana. Eu também vi reavivamento enviado por Deus durante o “Jesus Movement” nos fins de 1960 e no nício de 1970.

Depois de cinquenta e três anos de leitura e pensamento sobre este tópico, eu não considero eu mesmo um autoridade em relação reavivamento.

Eu havia cometido erros sobre reavivamento no passado. Por vários anos eu fui levado ao mal caminho pelas leituras de Charles G. Finney. Até agora eu não estou certo que eu entendo o assunto completamente.

“Porque agora vemos por espelho em enigma” (I Coríntios 13:12).

Mas esta noite eu darei seis errors sobre reavivamento, coisas que eu tenho chegado de rejeitar. Eu espero que estes pontos irá ajudar você enquanto você ora por Deus para enviar reavivamento à nossa igreja.

I. Primeiro, o erro que não pode ter reavivamento hoje.

Eu não irei passar muito tempo sobre isso, mas eu devo mencionar isso porque muitos acreditam. Eles dizem coisas como, “Os tempos bons de reavivamento está terminado. Nós estamos em últimos dias. Não pode ter mais reavivamento.” Estes são pensamentos comuns entre muitos Cristãos que acreditam em Bíblia hoje.

Mas eu acredito isto de ser um erro por três razões:

(1) A Bíblia diz, “Porque a promessa vos diz respeito a vós, a vossos filhos, e a todos os que estão longe, a tantos quantos Deus nosso Senhor chamar” (Atos 2:39). O Apóstolo Pedro disse que sobre o grande reavivamento no Pentecoste, que lá teria derramamento do Espírito de Deus ao fins de esta geração!

(2) O maior reavivamento de todo tempo irá vir no meio de Grande Tribulação, abaixo de Anticristo, no final de esta geração (ref. Apocalipse 7:1-14).

(3) O maior reavivamento na história inteira de Oriente Distante está acontecendo agora mesmo, esta noite, na Repúblia Popular Chinesa, e outros países no Terceiro Mundo. O maior reavivamento de tempos modernos está acontecendo em estes lugares agora mesmo!


É um terrível engano de pensar que não pode ter reavivamento hoje!

II. Segundo, o erro que reavivamento depende em nosso esforço evangélico.

Isto é um erro comum entre Batistas de Sul e outros. Esta idéia tem filtrado para eles desde Charles G. Finney. Finney disse, “O reavivamento é natural como um resultado de uso de meio apropriado como a colheita é de uso de seu meio apropriado” (C. G. Finney, Lectures on Revival, Revell, n.d., p. 5). Muitas igrejas ainda publicam “um reavivamento” para começar em um certo dia – e o final de um certo dia! Isto é puro Finneyismo! Reavivamento não depende em nosso esforço evangélico e que ganha alma!

Ouça ao Atos 13:48-49,

“E os gentios, ouvindo isto, alegraram-se, e glorificavam a palavra do Senhor; e creram todos quantos estavam ordenados para a vida eterna. E a palavra do Senhor se divulgava por toda aquela província.”

Eu penso que estes dois versículos clarificam a idéia que reavivamento depende em nosso esforço evangélico. Mesmo que o Evangelho “se divulgava por toda aquela província” somente aqueles quem foram “ordenados para vida eterna creram.”

Sim, nós somos contados que “pregai o evangelho a toda criatura” (Marcos 16:15) – mas não toda criatura irá crer! Em tempos de reavivamento mais pessoas irão crer do que outros tempos – mas é bem claro que reavivamento não depende somente em nosso esforço evangélico.

III. Terceiro, o erro que reavivamento depende na dedicação dos Cristãos.

Eu sei que muitas pessoas citam II Crônicas 7:14. Mas isto parece estranho que eles não citam um versículo de Novo Testamento para suportar teoria deles que reavivamento depende em Cristãos “de estar certos com Deus.” Porque este versículo deveria, dado ao Rei Solomão, ser usado como a fórmula por reavivamento na igreja de Novo Testamento? Eu não vejo mais a razão de fazer isto que por um pregador de mandar navios desde sua igreja, “traziam ouro e prata, marfim, bugios e pavões,” como Solomão fez em II Crônicas 9:21, justamente dois capítulos após!

Iain H. Murray disse, em relação II Crônicas 7:14, “A primeira coisa para dizer é certamente o que é prometido não é [Novo Testamento] reavivamento, por a promesa tem de ser entendido, no primeiro instante, em relação ao tempo em qual isto foi dado. É de Israel de Antigo Testamento e sua terra o qual a cura é falado” (Murray, ibid., p. 13). A idéia que reavivamento depende na dedicação de Cristãos veio desde Finney.

Winston Churchill uma vez escreveu ao seu jovem neto, dizendo ele para estudar história, porque história fornece a melhor maneira de fazer adivinhação inteligente sobre o futuro. Seguindo o atestado de Churchill, “Estude história,” nós achamos que a idéia de reavivamento dependendo em “dedicação completa” de Cristãos não é verdade. O profeta Jonas não foi completamente dedicado ao Deus. Leia o último capítulo de Jonas, e você verá deficiência dele e falta de fé. Não, o maior reavivamento entre Gentios no Antigo Testamento não dependeu em “rendição absoluta” ou “perfeição” de profeta. John Calvin foi um menos que homem perfeito. Ele havia queimado um homem na fogueira por heresia – dificilmente mostrando uma atitude de Novo Testamento! Todavia Deus enviou grande reavivamento abaixo de ministério dele, e através de escrituras dele. Luther havia um temperamento vil por vezes, e uma vez disse que os sinagogas de Judeus deveriam ser queimados. Todavia apesar de ocasionalmente vitriólico, antissemitismo pecaminoso de Luther, Deus enviou reavivamento abaixo de ministério dele. Nós esquecemos Calvin e Luther porque nós realizamos que eles foram homens medievais, ainda influenciados em estes assuntos por Catolicismo. Todavia, apesar de deficiências deles, Deus enviou reavivamento poderoso de Reformação abaixo de ministério deles. Whitefield ocasionalmente fez erros por causa de “impressões interiores,” que ele pensou por engano que foram de Deus. Wesley utilizou de tirar sorte (jogar dado) para determinar a vontade de Deus. Todavia Whitefield, Wesley, Luther e Calvin viram grande reavivamento em ministérios deles.

Nós vemos, desde estes exêmpos em história, que homem imperfeito, homem ocasionalmente não santo ou dedicado enquanto que eles deveriam ter sidos, foram usados poderosamente por Deus em tempos de reavivamento. Nós devemos concluir que Finney e seguidores dele estavam errados quando eles disseram que reavivamento depende em Cristãos tornarem-se dedicados completamente. O Apóstolo Paulo disse à nós,

“Temos, porém, este tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus, e não de nós” (II Coríntios 4:7).

Eu irei fechar este ponto por referir-se para sermão de Estêvão ao Sinédrio. Nós somos especificamente contados que Estêvão foi “cheio de fé e de poder, [e] fazia prodígios e grandes sinais entre o povo” (Atos 6:8). Todavia Estêvão não viu reavivamento sair desde sua pregação. Ao invés, ele foi apedrejado até morrer. Ele foi um homem santo e justo, mas isto não produziu reavivamento automaticamente no ministério dele. Nós podemos fazer jejum e orar, e virar verdadeiramente Cristãos maravilhosos, mas isto não forçará Deus de enviar um reavivamento. Porque? O Apóstolo Paulo dá a resposta,

“Por isso, nem o que planta é alguma coisa, nem o que rega, mas Deus, que dá o crescimento” (I Coríntios 3:7).

Sim, nós devemos constantemente orar, e ocasionalmente fazer jejum, por reavivamento, e ao mesmo tempo, sempre lembrar, “mas Deus...dá o crescimento” (I Coríntios 3:7). Isto é o poder soberano de Deus únicamente que produz reavivamento verdadeiro!

IV. Quarto, o erro que reaviamento é o estado comum que nós devemos esperar na igreja.

O Espírito Santo foi derramado nos Apóstolos no Pentecoste. Eles pregaram para pessoas em suas próprias linguagens, e três mil foram convertidos em este reavivamento poderoso, registrado no Atos, capítulo dois. Mas nós encontramos que eles precisaram de ser cheios com o Espírito Santo de novo, como registrado em Atos 4:31,

“E, tendo orado, moveu-se o lugar em que estavam reunidos; e todos foram cheios do Espírito Santo, e anunciavam com ousadia a palavra de Deus” (Atos 4:31).

Isto nos mostra que existia épocas de reavivamento na igreja primitiva, tempos incomum de reavivamento. Mas existia outras épocas quando a obra das igrejas continuram em usual, modo de dia a dia. Eu penso que isto é o que o Apóstolo Paulo quis dizer quando ele disse, “Instes a tempo e fora de tempo” (II Timóteo 4:2). Isto significa que nós devemos continuar a pregar e orar e testemunhar se tem reavivamento ou não. Cristo nos chama de obedecer a Grande Comissão (Mateus 28:19-20), e “pregai o evangelho a toda criatura” (Marcos 16:15) se tem reavivamento ou não! Alguns irão ser convertidos até quando não ter movimento incomum de Deus.

Se nós pensamos que reavivamento é a maneira usual que Deus trabalha, nós iremos tornar desencorajados. Iain H. Murray disse,

Foi por este ponto que George Whitefield teve que acautelar seu amigo William McCulloch, um minístro de Cambuslang [Escócia]. Em 1749 McCulloch foi desencorajado porque ele não mais viu do que eles haviam testemunhados no despertamento de 1742. Reação de Whitefield foi de fazer ele lembrar que 1742 não foi a norma para a igreja: “Eu deveria estar agradecido de escutar de [outro] reavivamento em Cambuslang; mas, querido Senhor, você tem já visto tal coisas como são raramente vistos uma vez [mais de uma vez] em um século.” Martyn Lloyd-Jones refere-se à uma ocorrência similar em caso de um minístro de Welsh do qual “ministério inteiro foi arruinado,” pelo seu ação de olhar para atrás constantemente do que ele havia visto e experienciado no reavivamento de 1904: “Quando o reavivamento terminou...ele ainda estava esperando o incomum; e isto não aconteceu. Então ele tornou deprimido e passou quase quarenta anos de vida dele em um estado de aridez, infelicidade e inutilidade” (Iain H. Murray, ibid., p. 29).

Se Deus não envia reavivamento, nós não devemos deixar que isto nos desencoraja. Nós devemos continuar, “instes a tempo e fora de tempo,” proclamando o Evangelho, e liderando pecadores para Cristo um por um. Mas, ao mesmo tempo, nós devemos continuar de orar por Deus de enviar um tempo especial de despertamento e reavivamento. Se Deus envia um reavivamento, nós iremos alegrar. Mas se Ele não envia reavivamento, nós iremos continuar a liderar almas para Cristo uma pessoa de vez! Nós não iremos ser desencorajados! Nós não iremos desistir! Nós iremos estar instantes em tempo e fora de tempo!

V. Quinto, o erro que não existe condições que seja o que for conectado com reavivamento.

A Escritura e história ambos mostram à nós que reavivamento não depende em esforço evangélico humano ou dedicação total de Cristãos. Mas existe certas condições que devem ser satisfeitas. Estes são primeiramente doutrinas, e oração correta. Nós devemos orar por reavivamento, e nós devemos também ter correta doutrina em relação pecado e salvação.

Em seu livro, Revival (Crossway Books, 1992), Dr. Martyn Lloyd-Jones tem dois capítulos, entitulados “Doctrinal Impurity” [Impuridade Doutrinal] e “Dead Orthodoxy” [Ortodoxia Morta]. Em estes dois capítulos este homem, quem viu um reavivamento em seus anos precoce de pregação, nos diz que existe certas doutrinas o qual deve ser pregados e acreditados se nós esperamos Deus de enviar reavivamento. Eu irei mencionar quatro das doutrinas que ele deu.


1. A Queda e decadência da humanidade – depravação total.

2. Regeneração – ou novo nascimento – como uma obra de Deus, não de homem.

3. Justificação por fé em Cristo somente – não fé em “decisões” de qualquer forma.

4. O efetividade de Sangue de Cristo para limpar pecado – ambos pessoal e pecado original.


Estas quatro doutrinas foram atacados por Charles G. Finney, e tem sido rebaixados ou negligenciados desde que. Não é surpreso que nós temos visto tão pouco reavivamento desde 1859! Eu não posso entrar em detalhes, mas estes são doutrinas vitais, o qual deve uma vez ser pregados se nós esperamos de ver reavivamento vir à nossas igrejas. Nossas igrejas contêm bastante pessoas perdidas, quem nunca irão ser verdadeiramente convertidos antes que nós pregamos em estes tópicos vigorosamente e fortemente – e repetidamente!

Dr. Lloyd-Jones disse,

Observe nas histórias de reavivamento, e você irá achar homens e mulheres sentirem-se desesperados. Eles sabem que todas as suas bondades são apenas trapos sujos, e que toda justiça deles são de nenhum valor mesmo. E lá eles estão, sentindo que eles podem fazer nada, e clamando para Deus por misericórdia e compaixão. Justificação por fé. Ato de Deus. “Se Deus não fazer à nós,” eles dizem, “então nós estamos perdidos.” E assim eles [sentem seus] desamparo absoluto diante Ele. Eles não pagam atenção, e não atam em nenhum significado, tudo isso ao seus próprio religiosidade passada, e tudo isso ao seus lealdade em atendência de igreja, e muitas, muitas outras coisas. Eles veem que tudo isso não é bom, até seus religiosidade é de nenhum valor, existe nada que é de valor. Deus deve justificar o ímpio. E isto é a grande mensagem que sai, portanto, em cada período de reavivamento (Martyn Lloyd-Jones, ibid., pp. 55-56).

“Mas, àquele que não pratica, mas crê naquele que justifica o ímpio, a sua fé lhe é imputada como justiça” (Romanos 4:5).

“Cristo Jesus: Ao qual Deus propôs para propiciação pela fé no seu sangue” (Romanos 3:24-25).

VI. Sexto, o erro que reavivamento começa com alegria e riso.

O tão-chamado “reavivamento de riso” não é um reavivamento verdadeiro de qualquer forma. Eu vi uma das reuniões deles pessoalmente com meu amigo Dr. Arthur B. Houk. Isto foi uma paródia triste de reavivamento verdadeiro. Isto combina bem com que as pessoas hoje pensam sobre salvação. Dr. John Armstrong disse, “O que [eles] querem é felicidade, concretização, e satisfação” (True Revival, Harvest House, 2001, p. 231). Eles não pensam de suas necessidades por salvação desde pecado deles!

Mas isto muda em uma conversão real, e em um reavivamento real. Em reavivamento, e em conversões individuais, “Coração quebrado, confessão centralizado em Cristo e arrependimento irá caracterizar o verdadeiro movimento do Espírito. Pessoas irão... chorar abaixo de mais profundo impressão de pecado” (Armstrong, ibid., p. 63).

Isto tem sido minha experiência que quase todo mundo quem experiencia uma conversão real chora com lágrimas de arrependimento e tristeza por pecado deles. E isto tem sido verdade de muitas pessoas em reavivamentos que eu tenho visto como um testemunho ocular. E isto tem sempre sido verdade em reavivamentos clássicos do passado.

Como nós oramos por Espírito Santo de vir sob você! Como nós oramos que Ele irá causar você de lamentar e chorar por seus pecado contra Deus. Como nós oramos que você irá ser purificado desde seu pecado através de Sangue precioso de Jesus! “O sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado” (I João 1:7). Amém. Dr. Chan, por favor vem e ore por Deus de enviar tal reavivamento à nossa igreja.

(FIM DE SERMÃO)
Você pode ler sermões do Dr. Hymers cada semana no Internete
em www.realconversion.com ou www.rlhsermons.com.
Clique no “Sermão em Português.”

Você pode mandar correio eletrônico para Dr. Hymers em Inglês rlhymersjr@sbcglobal.net
– ou você pode escrever para ele a P.O. Box 15308, Los Angeles, CA 90015.
Ou liga ele para (818)352-0452.

Estes manuscritos de sermão não estão protegidos pelos direitos autorais. Você pode usar
eles sem permissão de Dr. Hymers. Porém, todos os messagens de video de Dr. Hymers
estão protegidos e pode somente ser usados por permissão.

Escritura Lido Antes de Sermão por Mr. Abel Prudhomme: Zacarias 12:10; 13:1.
Solo Cantado Antes de Sermão por Mr. Benjamin Kincaid Griffith:
“Revive Thy Work, O Lord” (por Albert Midlane, 1825-1909).


PLANO DE

SEIS ERRORES MODERNOS SOBRE REAVIVAMENTO

(SERMÃO NÚMERO 15 SOBRE REAVIVAMENTO)
SIX MODERN ERRORS ABOUT REVIVAL
(SERMON NUMBER 15 ON REVIVAL)

por Dr. R. L. Hymers, Jr.

(I Coríntios 13:12)

I.   Primeiro, o erro que não pode ter reavivamento hoje, Atos 2:39;
Apocalipse 7:1-14.

II.  Segundo, o erro que reavivamento depende em nosso esforço
evangélico, Atos 13:48-49; Marcos 16:15.

III. Terceiro, o erro que reavivamento depende na dedicação dos
Cristãos, II Crônicas 9:21; II Coríntios 4:7; Atos 6:8;
I Coríntios 3:7.

IV. Quarto, o erro que reaviamento é o estado comum que nós devemos
esperar na igreja, Atos 4:31; II Timóteo 4:2; Marcos 16:15.

V. Quinto, o erro que não existe condições que seja o que for conectado com reavivamento, Romanos 4:5; 3:24-25.

VI. Sexto, o erro que reavivamento começa com alegria e riso,
I João 1:7.