Print Sermon

O objetivo deste site é fornecer gratuitamente manuscritos e vídeos de sermões para pastores e missionários em todo o mundo, especialmente o Terceiro Mundo, onde existem poucos seminários teológicos ou escolas bíblicas.

Estes manuscritos e vídeos de sermões alcançam agora cerca de 1.500,000 computadores em mais de 221 países anualmente através do site: www.sermonsfortheworld.com. Centenas de outras pessoas assistem os vídeos noYouTube, mas rapidamente deixam o YouTube, pois cada vídeo os redireciona para nosso website. O YouTube redireciona as pessoas para nosso website. Os manuscritos dos sermões são traduzidos para 39 idiomas para cerca de 120.000 computadores mensalmente. Estes sermões manuscritos não estão protegidos por direitos autorais, para que, assim, pregadores possam usá-los sem nossa autorização. Clique aqui para saber como fazer uma doação mensal para ajudar-nos nesta grande obra de divulgar o Evangelho para todo o mundo, incluindo nações muçulmanas e hindus.

Ao escrever para Dr. Hymers, mencione sempre o país no qual você vive, caso contrário ele não poderá responder-lhe. O email do Dr. Hymers é rlhymersjr@sbcglobal.net.




O SILÊNCIO DO CORDEIRO

(SERMÃO NÚMERO 8 SOBRE ISAÍAS 53)
THE SILENCE OF THE LAMB
(SERMON NUMBER 8 ON ISAIAH 53)
(Portuguese)

por Dr. R. L. Hymers, Jr.

Sermão pregado no Tabernáculo Batista de Los Angeles
Dia do Senhor de noite, 24 de Março, 2013
A sermon preached at the Baptist Tabernacle of Los Angeles
Lord’s Day Evening, March 24, 2013

“Ele foi oprimido e afligido, mas não abriu a sua boca; como um cordeiro foi levado ao matadouro, e como a ovelha muda perante os seus tosquiadores, assim ele não abriu a sua boca” (Isaías 53:7).


É sempre inspirador à escutar as últimas palavras de mártir Cristiano. Isto levanta nossos corações à escutar suas palavras mortais. Polycarp foi um pregador de começo de segundo século. Em Inglês seu nome é Polycarp, em Latim é Polycarpus. Polycarp havia sido um estudante de Apóstolo João. Anos depois ele manteu-se frente de juiz pagão, quem disse, “Você é um homem velho. Naõ é necessário que você morra...Faz o juramento e eu irei liberar você. Que dano existe para dizer ‘Senhor Cesar,’ e ofertar incenso? Você tem porém jura por Cesar e eu irei alegremente liberar você. Negue Cristo e você viverá.”

Polycarpus respondeu, “Oitenta-seis anos eu tenho servido [Cristo], e Ele nunca me fez prejuízo. Como eu posso blasfemar meu Rei quem salvou-me?” O juíz disse, “eu teria que consumir você com fogo.” Polycarpus respondeu, “O fogo que você ameaça queima porém uma hora e é apagada. Você não sabe o fogo de julgamento prometido e castigo eterno ordenado para os ímpios [perdido]? Mas porque você demora? Vem, faça como quiser.”

Em isto o juíz mandou seu mensageiro adentro de arena para proclamar com alta voz ao povo, “Polycarp tem confessado ele próprio que é Cristão!” “Queimam ele vivo!” gritou a multidão de pagões. O fogo foi preparado. O verdugo aproximou Polycarp para pregar ele à estaca. Polycarp disse calmamente, “Deixa-me como eu estou. Ele quem permite-me a resistir o fogo irá capacitar-me a ficar em pira não movido, sem a segurança que você deseja de pregos.”

Então Polycarp elevou sua voz em oração, adorando Deus que ele estava “considerado digno de morrer.” O fogo estava acendido e um lençol de chama queimou ao redor dele. Quando seu corpo não esfarelou em chamas, o verdugo esfaqueou ele com uma adaga. Assim a vida de Polycarpus finalizou, pastor de Smyma e estudante do Apóstolo João (see James C. Hefley, Heroes of the Faith, Moody Press, 1963, pp. 12-14).

Spurgeon disse sobre “Jane Bouchier, nossa gloriosa Batista mártir...quando ela foi trazido adiante Cranmer e Ridley,” dois bispos de Igreja de Inglaterra, quem condenou esta Batista para ser queimada na estaca, dizendo para ela que queimadura foi uma morte fácil. Ela disse à eles, “eu sou de verdade uma servidora de Cristo como qualquer de vocês; e se vocês colocam sua coitada irmã à morte, cuide-se [seja cuidadoso] a fim de que não Deus deveria deixar solto o lobo de Roma em vocês, e vocês têm que sofrer por Deus também.” Como ela estava certa, por ambos estes homens foram também mártirs pouco depois! (see C. H. Spurgeon, “All-Sufficiency Magnified,” The New Park Street Pulpit, volume VI, pp. 481-482).

Apesar separados por bastante centenas, Polycarp e Jane Bouchier fizeram vigoroso discursos de fé quando eles foram queimados na estaca. Mesmo assim o Senhor Jesus Cristo não fez assim quando foi ameaçado com tortura e morte! Sim, Ele tinha falado ao sumo sacerdote. Sim, Ele tinha falado ao governador Romano Pôncio Pilatos. Mas quando veio o tempo por Ele para ser açoitado quase morto e depois pregado na Cruz, as palavras de profeta Isaías decreve o fato impressionate que Ele estava silencioso!

“Ele foi oprimido e afligido, mas não abriu a sua boca; como um cordeiro foi levado ao matadouro, e como a ovelha muda perante os seus tosquiadores, assim ele não abriu a sua boca” (Isaías 53:7).

Ele não falou nehuma palavra enquanto eles bateram Nele! Ele não falou nenhuma palavra enquanto eles pregaram Ele na Cruz! Vamos-nos chegar ao nosso texto e pensar profundamente em isto através perguntado três questões e respondendo-lhes.

I. Primeiro, quem foi este homem chamado Jesus?

Quem foi ele o qual o profeta falou, dizendo,

“Ele foi oprimido e afligido, mas não abriu a sua boca…”? (Isaías 53:7).

A Bíblia nos diz que Ele foi o Senhor de glória, a Segunda Pessoa de Santa Trinidade. O Filho de Deus em corpo humano! Como a crença diz, “Deus absoluto de Deus absoluto.” Nós devemos nunca pensar de Jesus como um simples professor humano ou um simples profeta! Ele não deixou-nos espaço para pensar Dele em estes termos, por Ele disse,

“Eu e o Pai somos um” (João 10:30).

De novo, Ele disse,

“Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá” (João 11:25).

Se algum outro homem tinha dito estas coisas nós iriamos chamar ele demonizado, ilusório, distraído, delirante ou desarranjado! Mas quando Jesus disse que Ele e Deus o Pai são um, e quando Ele disse, “Eu sou a ressurreição e a vida,” e palavras como este, nós pausamos e, até o pior de nós, espantamos se Ele talves não estava certo depois de tudo!

Apesar eu sempre não concordo com C. S. Lewis em outros pontos, como nós podemos discordar com seu famoso frase sobre Jesus Cristo? C. S. Lewis disse,

Eu estou tentando aqui à preventar qualquer um dizendo realmente imprudente coisas que pessoas muitas vezes dizem sobre Ele: “Eu estou preparado à aceitar Jesus como um grande professor de moral, mas eu não aceito Seu clamo de ser Deus.” Isto é uma coisa que nós não devemose dizer. Um homem quem foi somente um homem e disse de certa forma coisas que Jesus disse não seria um grande professor de moral. Ele seria um lunático – em nível de um homem quem diz ele é um ovo frito – se não ele seria um Demônio de Inferno. Você deve fazer sua decisão. Se este home foi, e é, o Filho de Deus: ou um louco ou alguém pior. Você pode dizer que Ele é bobo, você pode cuspir em Ele e matar Ele como um demônio; ou você pode ajoelhar em Seu pé e chamar Ele Senhor e Deus. Mas não vamos chegar com nenhum arrogante tolice sobre Ele sendo um grande professor humano. Ele não tinha deixado isto aberto à nós. Ele não intencionou (C. S. Lewis, Ph.D., Mere Christianity, Harper Collins, 2001, p. 52).

“Você pode cuspir em Ele e matar Ele como um demônio; ou você pode ajoelhar em Seu pé e chamar Ele Senhor e Deus…Você deve fazer sua decisão,” por Jesus disse,

“Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim” (João 14:6).

Assim é! Você não pode misturar Jesus com Budismo ou Hinduísmo ou Islamismo simplesmente porque Jesus “não tinha deixado isto aberto à nós. Ele não intencionou.” Cristo deixou-nos sem outra opção. Ele disse, “Ninguém vem ao Pai, senão por mim.” Como C. S. Lewis disse, “Você pode cuspir em Ele…ou você pode ajoelhar em Seu pé e chamar Ele Senhor e Deus…Você deve fazer sua decisão.” É um ou outro. Ninguém é realmente neutro em isto! Eles talvez podem pretender à ser, mas eles nunca realmente são neutros. “Ele não tinha deixado isto aberto à nós.”

II. Segundo, porque Jesus falhou de defender a si mesmo adiante aqueles
quem torturou e matou Ele?

Porque isto é assim que

“Ele foi oprimido e afligido, mas não abriu a sua boca”? (Isaías 53:7).

O grande cientista Albert Einstein, apesar de não ser Cristão, disse,

Ninguém pode ler o [quatro] Evangelhos sem sentir o atual presença de Jesus. Sua personalidade pulsa em cada palavra. Nenhum mito está recheado com tanta vida (Albert Einstein, Ph.D., The Saturday Evening Post, October 26, 1929).

Ainda quando Ele foi açoitado e crucificado Jesus disse nada! Porque Cristo falhou de defender a si mesmo para aqueles quem bater Ele e matou Ele? O filósofo Francês Rousseau, apesar de ser um ateu, estranhamente chegou perto da resposta de aquela pergunta quando ele disse,

Se Sócrates viveu e morreu como um filósofo, Jesus viveu e morreu como Deus (Jean-Jacques Rousseau, French philosopher, 1712-1778).

Jesus não defendeu a si mesmo porque Seu absoluto próposito de vir na terra foi de sofrer e morrer na Cruz. Um ano antes que Ele foi crucificado e Jesus fez isto claro.

“Desde então começou Jesus a mostrar aos seus discípulos que convinha ir a Jerusalém, e padecer muitas coisas dos anciãos, e dos principais dos sacerdotes, e dos escribas, e ser morto, e ressuscitar ao terceiro dia” (Mateus 16:21).

The Applied Novo Testamento Comentário disse,

Pedro tive justamente confessado que Jesus era o Cristo, o Messiah, o Filho de Deus vivo [Marcos 8:29]. Mas [Pedro] todavia não entendeu do que Cristo veio na terra para fazer. Ele pensou como os outro Judeus pensaram, em outras palavras, que Cristo tinha vindo para ser um rei terrestral. Então, quando Jesus falou à ele que [Ele mesmo] deveria sofrer muitas coisas e…ser matado, Pedro não podia aceitar isto. Ele repreendeu Jesus por dizer coisas assim. Jesus também falou que depois de três dias [Ele] iria ressucitar de novo. Jesus sabia, não somente que Ele iria morrer, mas também que Ele iria ressucitar de morte no terceiro dia. Os discípulos não entenderam iste de jeito nenhum (Thomas Hale, The Applied New Testament Commentary, Kingsway Publications, 1996, pp. 260-261).

Mas nós devemos entender isto. A Bíblia diz,

“Cristo Jesus veio ao mundo, para salvar os pecadores” (I Timóteo 1:15).

através Sua morte por nossos pecados na Cruz, e pela Sua ressurreição, o qual nos dá vida, Jesus não falou nada e não defende a si mesmo quando Ele foi açoitado e cruficado por que, como Ele disse ao governador Pilatos, “Eu para isso nasci, e para isso vim ao mundo” (João 18:37).

III. Terceiro, o que o texto diz-nos sobre o sofrimento silencioso de Jesus?

Por favor levante e leia Isaías 53:7 em voz alta mais uma vez.

“Ele foi oprimido e afligido, mas não abriu a sua boca; como um cordeiro foi levado ao matadouro, e como a ovelha muda perante os seus tosquiadores [silenciso], assim ele não abriu a sua boca” (Isaías 53:7).

Vocês podem sentar-se.

“Ele foi oprimido e afligido.” Dr. Young diz que isto pode ser traduzido, “Ele [permitiu] a si mesmo para ser afligido.” “Em ser afligido ele estava voluntariamente sofrendo…Nenhum autodefesa ou protesto emitiu de sua boca. Uma pessoa não pode ler [esta profecia] sem pensar de realização, quando adiante de assento de julgamento de Pilatos o Sevo verdadeiro respondeu nenhuma palavra. ‘Quando ele estava insultado, insultado nunca mais’ [Quando ele sofre ele não ameaçou]” (Edward J. Young, Ph.D., The Book of Isaiah, Eerdmans, 1972, volume 3, pp. 348-349)

.

“Disse-lhe então Pilatos: Não ouves quanto testificam contra ti? E nem uma palavra lhe respondeu, de sorte que o presidente estava muito maravilhado [estava muito surpreso]” (Mateus 27:13-14).

“E os principais dos sacerdotes o acusavam de muitas coisas; porém ele nada respondia. E Pilatos o interrogou outra vez, dizendo: Nada respondes? Vê quantas coisas testificam contra ti. Mas Jesus nada mais respondeu, de maneira que Pilatos se maravilhava [estava surpreso e impressionado]” (Marcos 15:3-5).

“Ele foi oprimido e afligido, mas não abriu a sua boca; como um cordeiro foi levado ao matadouro, e como a ovelha muda perante os seus tosquiadores [silenciso], assim ele não abriu a sua boca” (Isaías 53:7).

Em Isaías 53:7 Cristo é comparado à um cordeiro. Em Antigo Testamento, homem trouxe cordeiro para abater-lhe por sacrifício à Deus. Para preparar o cordeiro por sacrifício eles cortaram, tirando todo lã. A ovelha fica quieta enquanto foi cortada. Como a ovelha de sacrifício estava silenciosa quando foi cortada e abatada, “assim ele não abriu a sua boca” (Isaías 53:7).

João o Batista também comparou Jesus ao cordeiro de sacrifício quando ele disse,

“Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo” (João 1:29).

Quando você confia Jesus por fé, Seu sacrifício na Cruz pagou por todo seu pecado, e você permanece sem culpa adiante Deus. Sua culpa é expiado por através Sua morte na Cruz. E seus pecados são purificados através de Sangue que Ele derramou lá.

David Brainerd, o missionário famoso ao Índians Americanos, proclamou esta verdade durante seu ministério. Enquanto ele pregava ao Índians Americanos, ele disse, “Eu nunca estava fora de Jesus e Ele crucificado. Eu encontrei que uma vez estas pessoas foram captados por grande…significado de sacrifício de Cristo em nosso lugar, eu não tinha que dar para eles muitas instruções sobre a mudança de comportamento deles” (Paul Lee Tan, Th.D., Encyclopedia of 7,700 Illustrations, Assurance Publishers, 1979, p. 238).

Eu sei que isto é verdade hoje também. Uma vez você vê que

“Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras”
       (I Coríntios 15:3),

e uma vez você entrega ao crucificado e ressucitado Salvador, você é um Cristão. O resto é comparativamente fácil de explicar e entender. Confie em Cristo por fé e você é salvo!

Enquanto ele deitava morrendo, Spurgeon disse, “Minha teologia é encontrado em quatro pequenas palavras – ‘Jesus morreu por mim.’ Eu não digo isto é todo que eu iria predicar se eu fosse ressucitado de novo, mas isto é mais que suficiente para morrer. Jesus morreu por mim” (Tan, ibid.). Você pode dizer isto? Você pode dizer, “Jesus morreu por mim”? Se não, você irá entregar ao Salvador ressucitad e confiar Ele hoje a noite? Você irá dizer, “Jesus morreu por mim, e eu entrego à ele e confio Ele por salvação completa através Seu Sangue e justiça”? Tomara que Deus concede à você fé simples para fazer assim. Amém.

Poe favor levante e cante o hino número seis em sua folha de canto, “And Can It Be?”[E Isto Pode Ser?] por Charles Wesley.

E isto pode ser que eu deveria ganhar
   Um interesse em sangue de Salvador?
Morreu Ele por mim, quem causou Ele dor?
   Por mim, quem Ele até morte perseguiu?
Incrível amor! Como isto pode ser,
   Que Vós, meu Deus, poderia morrer por mim?
Incrível amor! Como isto pode ser,
   Que Vós, meu Deus, poderia morrer por mim?
(“And Can It Be?” by Charles Wesley, 1707-1788).

Se você está convincido que Jesus pode perdoar seu pecado e salvar sua alma, nós gostaríamos de conversar com você sobre tornar-se um Cristão. Por favor deixe sua cadeira e caminhe para trás de lugar. Dr. Cagan irá levar você à um quarto quieto aonde nós podemos conversar. Vá agora atrás de auditório. Mr. Lee, por favor vem e ore por aqueles quem têm respondido. Amém.

(FIM DE SERMÃO)
Você pode ler sermões do Dr. Hymers cada semana no Internete
em www.realconversion.com. Clique no “Sermão em Português.”

You may email Dr. Hymers at rlhymersjr@sbcglobal.net, (Click Here) – or you may
write to him at P.O. Box 15308, Los Angeles, CA 90015. Or phone him at (818)352-0452.

Escritura Lido Antes de Sermão por Dr. Kreighton L. Chan: Isaías 52:13-53:7.
Solo Cantado Antes de Sermão por Mr. Benjamin Kincaid Griffith:
“A Crown of Thorns” (by Ira F. Stanphill, 1914-1993).


PLANO DE

O SILÊNCIO DO CORDEIRO

(SERMÃO NÚMERO 8 SOBRE ISAÍAS 53)
THE SILENCE OF THE LAMB
(SERMON NUMBER 8 ON ISAIAH 53)

por Dr. R. L. Hymers, Jr.

“Ele foi oprimido e afligido, mas não abriu a sua boca; como um cordeiro foi levado ao matadouro, e como a ovelha muda perante os seus tosquiadores, assim ele não abriu a sua boca” (Isaías 53:7).

I.   Primeiro, quem foi este homem chamado Jesus? João 10:30; 11:25;
João 14:6.

II.  Segundo, porque Jesus falhou de defender a si mesmo adiante
aqueles quem torturou e matou Ele? Mateus 16:21;
I Timóteo 1:15; João 18:37.

III. Terceiro, o que o texto diz-nos sobre o sofrimento silencioso
de Jesus? Mateus 27:13-14; Marcos 15:3-5; João 1:29;
I Coríntios 15:3.